Por que amamos o Berlim de La Casa de Papel?

Já namorei um Berlim por 8 meses. Hoje se preciso me referir a ele (o que acontece muito raramente), eu o chamo de "o Psicopata". Você não consegue acreditar na maldade, mesmo a vendo claramente diante dos seus olhos, porque ele é tão adorável, tão inteligente, tão apaixonante... Por isso a gente gosta do Berlim, mesmo sendo racionalmente impossível gostar do Berlim.



O meu Psicopata era bem ao estilo La Casa de Papel: surpreendente. Quando você acha que o nível de maldade já chegou ao limite... Rá! Ledo engano. 

E como é um psicólogo inteligentíssimo, ele sabe exatamente como te afetar. Enquanto vc deixa 😉. Sabe quando isso para? Quando você coloca um ponto final. Está apenas nas suas mãos. 

É difícil, eu sei. Eu via como ele amarrava cordinhas no tornozelo das vítimas anteriores e, quando elas estavam quase se curando, ele dava uma puxadinha e pronto, lá estavam elas sofrendo de novo. Pra mim, ele dizia que elas eram loucas. E, no início, eu até acreditava mesmo que eram. Mas, manas, nunca deixem nada cegar a sua razão. 

Foi só por ter observado com atenção esse movimento dele com as outras, que eu caí apenas na primeira puxada. Inacreditavelmente, há alguns dias ele pediu pra se conectar comigo no LinkedIN. Dei uma gargalhada enorme. Senti pena. E bloqueei, porque não tem porque conviver nem de longe com gente que espalha destruição por onde passa, que transforma em sofrimento tudo o que toca. 

Se tenho algum sentimento ruim em relação a ele? Nenhum. A não ser que vcs considerem pena um sentimento ruim. Porque Berlins são, no fundo no fundo, a infelicidade em pessoa. Pra eles, seu comportamento padrão é como drogas. É viciante, mas o efeito acaba. E, de novo e de novo, são apenas eles com eles mesmos, encarando a sua perversão e seu vazio - ainda tendo de conviver com o fato de que até o estrago que eles fizeram é passageiro: as pessoas se recuperam e eles viram apenas um post no Instagram sem nada de especial (ou nem isso). 

Meu conselho a você que se encontra numa situação como essas: conte com uma rede de apoio. Conte tudo para as suas amigas, porque elas não te deixarão esquecer nem recair.  

#psicopata #abusador #lacasadepapel #berlim #abusivo #perverso

Competição entre Mulheres - Podcast Apenas Mulheres de Verdade #4



Diz o senso comum que as mulheres são competitivas, que são falsas pelas costas das outras... mas será que isso é mesmo verdadeiro? Esse é o tema do quarto episódio do podcast Apenas Mulheres de Verdade. É só dar o play abaixo.




Photo by Vadim Fomenok on Unsplash

Lady Gaga - Podcast Apenas Mulheres de Verdade #2


No segundo episódio do podcast Apenas Mulheres de Verdade, falamos de uma mulher que arrasou no Oscar 2019: Lady Gaga. O que está por trás daquele discurso? Com direito à história de quando levei um tapa na cara dos meus preconceitos ao ler sua biografia em 2016 e um segredo... por que eu tenho interesse pela Lady Gaga?   


Aqui está a foto do Instagram que comento no episódio :D




Dá o play abaixo, mana!





Se tiverem curiosidade, o look de camisinha que também comento com vocês no podcast ilustra o final de um post polêmico que escrevi em 2011 e já teve 16 mil acessos: Falando francamente sobre camisinha

Apresentando - Podcast Apenas Mulheres de Verdade #1

Às vésperas do blog comemorar oito anos de existência, nós desafiamos o tal inferno astral e lançamos duas novidades: nosso perfil no Instagram e o podcast Apenas Mulheres de Verdade.

Crédito da Imagem: unsplash-logoJuja Han

Neste primeiro episódio, apresentamos um pouco do blog e damos uma palhinha do tipo de conversas que teremos por aqui. 

Seja muito bem-vinda! É só dar o play abaixo, mana!

Chutney indiano de coentro e hortelã

Meu marido é indiano e uma das coisas que ele mais sente falta morando no Brasil é da comida da Índia. O Chutney indiano de coentro e hortelã é um dos preferidos!


Sorte dele que é uma receita simples de preparar, e encontramos facilmente todos os ingredientes no Brasil.

O que surpreende na receita desse chutney é a diversidade dos ingredientes. Eles misturam coisas que a gente jamais misturaria - acho que é isso que faz a culinária indiana tão intrigante.

Esta receita foi retirada do livro Aneri My Favorite Recipes, de Nayana Shah (adaptada por mim). 


Chutney indiano de coentro e hortelã

Ingredientes:
1 copo de folhas de coentro bem picadinhas
1/2 copo de folhas de hortelã também bem picadas
6 cabeças de alho trituradas  [eu coloco só uma, porque acho muito forte]
Sal a gosto
1 colher de chá de gergelim
2 colheres de chá de coco desidratado
1 colher de sopa de nozes
3 colheres de sopa de açúcar
1 limão
4 pimentas verdes
1 pedaço pequeno de gengibre
1 colher de sopa de semente de cominho 

Modo de fazer
Bater tudo no liquidificador até ficar uma pasta.

Manter na geladeira.

Minhas adaptações: coloco menos alho, uso cominho em pó e também pimentas em pó (pela minha falta de habilidade de medir a quantidade de pimentas frescas).



Apreciem! Mas lembrem-se: é comida indiana, então é forte ;)