Pedido para mães de meninos


A gente conversa muito sobre a importância do empoderamento feminino. Mas não basta empoderarmos as meninas sem olharmos também para os nossos filhos


Certa vez, numa discussão com mulheres do meu trabalho, uma colega falou algo sobre as meninas serem insensíveis e partirem o coração dos colegas apaixonados. Ela relatava o quanto era difícil ser mãe de menino e vê-los sofrendo. 

Tivemos uma conversa maravilhosa a partir daí. Eu trouxe a problematização que partilho com vocês agora: as meninas são "insensíveis" só porque não retribuem o amor do seu filho? Elas não têm o direito de amar quem elas quiserem e escolher namorar com quem quiserem? Por que as meninas (e nós mulheres) somos julgadas pelas nossas escolhas?

Meu apelo às mães de menino: por favor, ensinem a eles que as mulheres não são seres criados para satisfazer as vontades deles. Elas têm a própria mente, os próprios sentimentos, as próprias vontades. E isso deve ser respeitado. Se você ensina a ele que a menina ée insensível porque não gosta dele, compreende que assim a está julgando e desempoderando? Ela pode ser muito sensível e gostar de outra pessoa, que não seu príncipe, não é mesmo?         

Pode parecer uma coisa pequena, mas ela vira bem grande quando observamos o número de feminicídios no Brasil e no mundo, sendo que muitos desses crimes ocorrem quando companheiros e ex-companheiros justamente não aceitam/respeitam a vontade das mulheres.  

Quero trazer mais um exemplo: uma canção composta por um garoto de 11 anos, MC Bruninho - uma das revelações musicais de 2018. Ele é um fofo e tem uma vozinha muito gostosa. Suas canções fazem o estilo bregafunk ou batidão romântico. As melodias ficam na cabeça e as letras são inocentes e adequadas para crianças de 11 anos, como a minha filha.

Esta é a música "Jogo do Amor" - a letra está na sequência.


 


Jogo do Amor
MC Bruninho

Olha aonde eu vim parar
Mais uma vez, o coração se apaixonou pela pessoa errada
Mas como eu ia imaginar
Que no lugar do coração da princesinha não existia nada?

Tudo bem (tudo bem)
Você tá me ensinando mesmo sem saber
E é com teu desprezo que eu vou te esquecer
Espera mais um pouco e tu vai ver

O amor que eu sinto por você
Nada disso você deve entender
O teu jogo eu sei jogar, mas nunca vou ganhar
Porque você não sabe o sentido de amar

O amor que eu sinto por você
Nada disso você deve entender
O teu jogo eu sei jogar, mas nunca vou ganhar
Porque você não sabe o sentido de amar


Sempre que ouço essa música com minha filha, fico respondendo para ele:

Mas como eu ia imaginar
Que no lugar do coração da princesinha não existia nada?
Talvez ela tenha um coração, e ele apenas não seja seu.  ;)

O amor que eu sinto por você
Nada disso você deve entender

Ela pode entender e não retribuir, né?

O teu jogo eu sei jogar, mas nunca vou ganhar
Porque você não sabe o sentido de amar

E pode saber o sentido de amar... outra pessoa


Então, queridas mães de menino, acolham o sofrimento de seus filhos. Eles precisam de seu apoio ao encontrarem esse desconhecido mundo novo, gostoso e dolorido que é o amor. Mas, por favor, não coloquem a culpa do sofrimento no outro. O sofrimento faz parte da vida, a rejeição faz parte da vida, não ter tudo o que se quer, também faz parte da vida. Se queremos criar adultos saudáveis e felizes, esse ensinamento é fundamental.     

Compartilhe este artigo

Artigos relacionados

Próximo
« Anterior

Comentários dos leitores e leitoras são muito bem-vindos, pois enriquecem o blog com diferentes pontos de vista e relatos de experiências.
Mas estejam atentos às regras básicas de ética e boa convivência. Comentários em desacordo com elas ou que fujam ao tema do post poderão não ser aceitos. EmoticonEmoticon