Pular para o conteúdo principal

Tendências fashion verão 2014 - Parte I

Estar na tendência da moda verão 2014 vai ser fácil, fácil, gurias, pois, além das badaladas cores apresentadas a vocês no post anterior, hoje veremos o que de mais fashion desfilaremos na estação mais quente do ano.   

Hits que permanecem no street style e que já mostraram a que vieram ainda em 2013, são a combinação P+B, as estampas de azulejos portugueses, as estampas étnicas, os tons metalizados e as rendas. O preto e o branco, que nunca perdem a majestade, podem vir ornamentando a mesma peça, complementando-se em estampas e listras, ou compondo peças únicas. Neste último caso, podemos somar peças brancas a pretas ou vestir looks monocromáticos, em que a cor oposta surgirá como coadjuvante em simples acessórios.   



Um truque poderoso de que podemos lançar mão para modernizar o visual é o ponto de luz, que nada mais é do que uma peça de roupa ou um acessório, único e colorido, que, além de emprestar elegância e criatividade à produção, é utilizado para quebrar a monotonia da dupla de cores. 




Em se tratando da estampa de azulejos portugueses, não há erro. O importante é tentar não sobrecarregar o visual, evitando-a em conjuntinhos e peças coordenadas. O ideal é darmos preferência a peças únicas, que podem vir a ser combinadas com uma das cores que compõem a estampa, geralmente o branco e o azul klein. Também nesse caso, o ponto de luz auxilia na modernização do look.

        

A inspiração étnica, já há algum tempo utilizada no mundo da moda, não comporta exageros. Originalmente chamativas, essas estampas, em razão da ampla cartela de cores e formas, "conversam" perfeitamente com peças neutras e pouco elaboradas (regatas, t-shirts, shorts, saias-lápis, dentre outras), que atuem apenas como suporte, valorizando a estampa eleita como papel principal. Nada impede que sejam empregadas em produções maiores do vestuário, como vestidos e macacões. Contudo, devemos reservá-las para determinadas ocasiões, como reuniões menos formais, em se tratando de ambiente profissional, e festas que seguem a mesma proposta, com um dress code menos rígido.  





Os tons metalizados apresentam-se como mega versáteis, agregando-se às mais variadas cores. A exemplo do que ocorre com as estampas de azulejo português e étnica, um dos cuidados que devemos ter no momento de utilizá-los é não ultrapassar os limites, deixando brilhar apenas uma ou pouquíssimas peças.

Diferentemente do que muitos imaginam, não é proibido, não, se aventurar durante o dia com peças em tons metalizados, o importante é saber usar! Nesse caso, acessórios são um excelente exemplo, trazendo glamour a roupas mais tímidas como t-shirts e jeans. À noite, podemos nos deixar levar pela ousadia de composições mais amplas, como vestidos, saias, calças e blusas, além de bijouterias mais pesadas e brilhantes. 




Por fim, as rendas, tradução de glamour e elegância, se renovam com força total nesta estação, fugindo do óbvio (obaaaaaaaaaaaaaa!). Isso porque, além de fazerem frente em produções mais românticas, seu habitat natural, passaram a fazer parte de criações mais inusitadas, aplicadas em peças de conceito mais despojado e, até mesmo, esportivo, como shorts e moletons.



As cores, mais vibrantes e exibicionistas, compõem outra mudança visível nas rendas atualmente produzidas pela indústria têxtil, apresentando nuances modernas e diferenciadas e emprestando um certo atrevimento aos looks das mais antenadas! A renda guipir é a queridinha da estação, o "último grito da moda". Você já deve tê-la visto (e admirado) em saias e shorts-saia, passando ela a desfilar, em abundância, desde o final de 2013, quando tomou conta do mercado fashion, abastecendo desde as araras mais caras e exclusivas às mais populares e em conta!   

A renda funciona, de forma absolutamente deslumbrante, como protagonista de looks mais elaborados, como vestidos de festa (sempre certeira e atual) e dando um toque de feminilidade e leveza a produções do dia-a-dia.            
    

     
No próximo post, traremos mais dicas para atualizar seu closet e começar o ano brilhando, não perca!  





Fernanda Alvim é sagitariana, apaixonada, teimosa, convicta, impulsiva e aficionada por limpeza e moda. Sua coluna Mulheres e Moda é repleta de dicas sobre como vestir-se bem sem gastar muito.         

Comentários

  1. Ótimas dicas! Adoro usar peças ponto de luz. Mas como eu disse no outro post, vou procurar ousar mais este ano... quem sabe não arrisco em tons metalizados, né? Ahaha Beijo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Malú, sou viciada em um P+B com ponto de luz, não saio de casa sem o trio na maioria dos dias! :-)

      Excluir

Postar um comentário

Comentários dos leitores e leitoras são muito bem-vindos, pois enriquecem o blog com diferentes pontos de vista e relatos de experiências.
Mas estejam atentos às regras básicas de ética e boa convivência. Comentários em desacordo com elas ou que fujam ao tema do post poderão não ser aceitos.

Postagens mais visitadas deste blog

Medo de barata - transtorno sexual ou alergia?

Ver uma pessoa gritando diante de um inseto de cinco centímetros que não morde nem ataca seres humanos pode parecer irracional. O que muitos não sabem é que existem teorias que explicam o medo de barata, que acomete principalmente mulheres (mas também alguns homens).


O medoDe modo geral, ter medo é natural e até uma questão de sobrevivência. Por exemplo, o medo que nos leva a dirigir com as janelas do carro fechadas e a estarmos atentos à nossa volta ao pararmos na sinaleira pode evitar que sejamos pegos desprevenidos por um assaltante. No entanto, alguns medos podem prejudicar-nos em muitos aspectos de nossas vidas, como aqueles que se transformam em fobias.


Este post sobre o medo de barata é o primeiro de uma série de três. Na sequência dele, falaremos ainda sobre o enfrentamento de medos, como o medo de voar de avião e o medo de fazer exame de sangue. Compartilharemos também algumas dicas para perder o medo, que podem servir para qualquer tipo deles.

Medo de barata
Confesso a vocês qu…

A difícil tarefa de educar uma criança

Antes de eu ser mãe, as pessoas costumavam invalidar minhas opiniões sobre a educação de crianças - mesmo eu sendo pedagoga, ou seja, formada em Educação. Isso não valia para elas, pois teoria é teoria e prática é prática. Também não era válido o meu longo histórico de ótimo relacionamento com crianças, porque cuidar dos filhos dos outros não é educar. 

Pois bem, em parte elas tinham razão: "quem fala de sangue, e não está sangrando, é um impostor", já dizia Fernando Sabino. Em partes. Porque, agora que eu sou mãe, não só acredito nas mesmas coisas como também vejo-as reforçadas na prática. O que quer dizer que, mesmo não tendo passado pela experiência da maternidade anteriormente, as minhas vivências, a minha sensibilidade e o meu estudo tornaram-me apta para formar algumas ideias sobre o assunto. 
Se eu sei tudo sobre como educar uma criança? Se eu faço tudo certinho como mãe? Obviamente que não. Mas, como a maior parte das mães, eu tenho sempre a melhor das intenções. ;)

Encantos e perigos de um homem histérico

Eros quando solteiro foge diante de um possível relacionamento profundo. Mas gosta de manter uma mulher apaixonada sem assumi-la (pela necessidade da certeza de ser amado). Eros histérico continua freneticamente seu jogo de sedução, porém, finalizada a sedução ele não sabe mais o que fazer, ali entra em territórios desconhecidos. Evita um vínculo mais sólido porque seria deparar-se com a sua impotência diante de algo ou de uma situação e dessa forma fica evidenciado aquilo que poderia ter sido e não foi: o verdadeiro homem.
Toda mulher com uma relativa experiência afetiva é capaz de reconhecer perfis de homens com os quais se deve estar alerta. É quase como se uma luz piscasse com o texto: "Perigo! Mantenha distância".  Apesar disso, não raro envolvem-se com eles mesmo assim e saem chorando no final.
Dentre esses perfis evitáveis que simplesmente não conseguimos evitar, está o que a Senhorita Patinete chama de  Heros histérico. Hoje entenderemos melhor como funciona esse tal…