Pular para o conteúdo principal

Mulheres e moda - nova coluna de Fernanda Alvim

O universo fashionista é ao mesmo tempo fascinante e intrigante. Definitivamente, entender um desfile de moda não é para qualquer um. Eu, por exemplo, quando folheio uma revista Caras no salão de beleza, penso: "se isso é vestir-se bem, quero continuar me vestindo mal para sempre"

Como vocês podem perceber, eu e o mundo fashion não somos lá muito íntimos. ;)

Animale - SPFW Inverno 2014
Recomendo: Como entender um desfile de moda, por Malú Oliveira

Posso babar nos modelitos do filme "O Diabo Veste Prada", mas de fato não sei como incorporá-los ao meu look diário - especialmente sem dinheiro para investir em peças caras. Comofas? 

Para responder essa e outras perguntas que podem nos ajudar a desvendar os mistérios da moda, hoje temos estreia no blog! Fernanda Alvim assume a coluna "Mulheres e Moda" e passa a partir de agora a compartilhar conosco todo o seu fascínio pelo tema. 

No post de estreia, conheçam quem é Fê e entendam porque ela foi escolhida como colunista deste blog: apenas mulheres de verdade têm coragem de sair da zona de conforto e trocar de profissão para correr atrás de um sonho. E o que esse sonho tem a ver com moda? Confiram abaixo! 

Com vocês, minha amiga Fernanda Alvim...


Olá! Meu nome é Fernanda, sou gaúcha como Ana e a conheço desde a adolescência, época em que ela, apesar de não se sentir confortável com a aparência, jamais chegou a algo próximo ao Patinho Feio (como se descreveu no post anterior, minha inspiração para escrever este), mas, como seeempre digo: cada louco com sua loucura!

Sou sagitariana, apaixonada (sempre oscilo entre os dois extremos, ou amo ou odeio!!!!), teimosa, convicta, impulsiva, muitas vezes mau humorada e aficionada por limpeza e moda. Ahhhhh, a moda! Foi ela quem me trouxe até aqui, ou melhor, foi Ana, consciente da minha verdadeira paixão pelo mundo da moda, quem me incentivou a escrever sobre o assunto, muito embora o que eu tenha escrito até esta etapa da vida se limite a textos jurídicos. 

Sim, sou formada em Direito há longos 11 anos e somente agora tive a coragem de assumir, para mim e para quem possa interessar, que, por contingências da vida ou forças ocultas do destino (danadinhas!), jamais tive vocação pro ofício, tampouco prazer no que fazia. Quiseram essas mesma forças ocultas (agora querendo fazer as pazes comigo) que eu me desligasse da profissão exercida desde o ano em que alcancei meu diploma e viesse a ter um inevitável e proveitoso momento de reflexão (mentira, não foi apenas um, foram vários!), através do qual, pensando e repensando, pesando prós e contras e, principalmente, levando em consideração todo esse tempo em que carreguei um enorme sentimento de frustração, decidi levar meu grande sonho adiante, o de trabalhar com MODA. E por que não?



Lembro, nitidamente, das minhas horas de lazer quando pequena, momentos em que um simples lápis e um caderno eram o suficiente pra que eu me perdesse por horas, absorvida por um emaranhado de croquis (juuuuuuura!), melhor falando, de desenhos de bonecas trajando os mais lindos vestidos (pelo menos eu achava...), saias, blusas, sapatos, chapéus e tantas outras coisas que me fascinavam e continuam a me fascinar. 

Talvez você esteja a se perguntar: mas por que raios a pessoa resolveu fazer Direito? Vai saber... Admito, nem eu mesma sei! Talvez por estar na “moda”, por me permitir extravasar essa personalidade forte (sim, sou furiosa!), por nunca ter ouvido falar, na época, em uma faculdade ligada à moda, não importa. O que realmente conta é que (obrigada Senhor!) estou aqui, ansiosa para poder iniciar essa nova profissão e compartilhando cada engatinhada, cada conquista (queira Deus que sejam muitas), pois, como se diz, antes tarde do que nunca!

Acordo pensando em moda (sério, a única falta que minha antiga profissão me faz é a de ficar imaginando que roupas e acessórios eu colocaria no dia seguinte pra trabalhar), me perco pensando em moda (Thássia Naves e Miroslava Duma são minhas melhores amigas, embora ainda nem saibam que eu existo – ainda!), é isso que sei fazer, é isso que AMO fazer e é sobre isso que falarei, quinzenalmente, com vocês. 

Pois bem, voltando à minha descrição anterior, sou sagitariana, apaixonada, teimosa, convicta, impulsiva, muitas vezes mau humorada, aficionada por limpeza e moda e colunista de moda, uhuuuuuuuuuuuuuuuuuuu!!!!





E que venham outros e outros e outros 11 anos de profissão, mas de felicidade...

Obrigada Ana por me proporcionar essa fascinante experiência, você sabe que é minha ídola (além do nosso NKOTB, óoooooobvio!).    

Comentários

  1. Parabéns, amiga, pela coragem em busca da felicidade! Te desejo toda sorte e sucesso, que não tenho dúvidas de que terás! Teu bom gosto é indiscutível! Beijos, Grace Esteves Bortoluzzi

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Grace querida, obrigada por sempre me incentivares e acreditares em mim. Teu apoio é muito importante, amiga. Um beijo!

      Excluir
  2. Aiii minha ex chefinha musa!! Te desejo toda sorte e sucesso nesse novo rumo em tua vida! Tenho certeza que colherás bons frutos nessa nova empreitada porque, se fazendo o que não gostavas tu já era nota 10, imagina fazendo o que tu nasceu para fazer?! Vou te acompanhando por aqui para continuar me inspirando nos teus looks ;) mil beijocas!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Claudinha, pelas palavras gentis e de apoio. Espero sempre te encontrar por aqui! Beijos!

      Excluir
  3. Parabéns pela determinação e por estar correndo atrás do seu sonho! Acho isso lindo demais!!!!!
    Escreve bem demais e me deixou com vontade de ler outros textos.

    Ana, escolheu muito bem!!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Amanda, tu não tens noção do quão importantes são tuas palavras, pois ainda estou engatinhando no mundo da moda, preciso aprender ainda muitas coisas, mas cada incentivo me leva cada vez mais para perto do meu sonho. Estou com mil idéias para postar por aqui, espero que os próximos textos correspondam à tua expectativa. Um beijo grande!

      Excluir
  4. Amei a novidade! Com certeza estarei aqui acompanhando suas dicas, Fernanda! Sucesso! :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que delícia, Malu! É tão gratificante receber essas palavras carinhosas, espero poder trocar muitas "figurinhas" contigo, sei que também te interessas pelo assunto e tens conhecimento. Espero estar à altura. Beijosssssss!!!

      Excluir
  5. É me identifiquei um pouco... ou melhor totalmente! Pq fiz ADM? Para os outros, não para mim... =( Estarei sempre aqui lendo seus post! bjosss e sucesso...

    ResponderExcluir
  6. Fran, que pena que nos damos conta tanto tempo depois de que podíamos ter trilhado outro caminho, mas, como sempre digo, antes tarde do que nunca! Amarei te ter sempre por perto. Beijosssssss!

    ResponderExcluir
  7. Adorei o post de estreia! A forma como você escreve nos faz mergulhar no texto e ficar com gostinho de quero mais.
    Seja muito bem-vinda, amiga! Sucesso nessa nova jornada que você escolheu. Torço por você!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Comentários dos leitores e leitoras são muito bem-vindos, pois enriquecem o blog com diferentes pontos de vista e relatos de experiências.
Mas estejam atentos às regras básicas de ética e boa convivência. Comentários em desacordo com elas ou que fujam ao tema do post poderão não ser aceitos.

Postagens mais visitadas deste blog

Medo de barata - transtorno sexual ou alergia?

Ver uma pessoa gritando diante de um inseto de cinco centímetros que não morde nem ataca seres humanos pode parecer irracional. O que muitos não sabem é que existem teorias que explicam o medo de barata, que acomete principalmente mulheres (mas também alguns homens).


O medoDe modo geral, ter medo é natural e até uma questão de sobrevivência. Por exemplo, o medo que nos leva a dirigir com as janelas do carro fechadas e a estarmos atentos à nossa volta ao pararmos na sinaleira pode evitar que sejamos pegos desprevenidos por um assaltante. No entanto, alguns medos podem prejudicar-nos em muitos aspectos de nossas vidas, como aqueles que se transformam em fobias.


Este post sobre o medo de barata é o primeiro de uma série de três. Na sequência dele, falaremos ainda sobre o enfrentamento de medos, como o medo de voar de avião e o medo de fazer exame de sangue. Compartilharemos também algumas dicas para perder o medo, que podem servir para qualquer tipo deles.

Medo de barata
Confesso a vocês qu…

A difícil tarefa de educar uma criança

Antes de eu ser mãe, as pessoas costumavam invalidar minhas opiniões sobre a educação de crianças - mesmo eu sendo pedagoga, ou seja, formada em Educação. Isso não valia para elas, pois teoria é teoria e prática é prática. Também não era válido o meu longo histórico de ótimo relacionamento com crianças, porque cuidar dos filhos dos outros não é educar. 

Pois bem, em parte elas tinham razão: "quem fala de sangue, e não está sangrando, é um impostor", já dizia Fernando Sabino. Em partes. Porque, agora que eu sou mãe, não só acredito nas mesmas coisas como também vejo-as reforçadas na prática. O que quer dizer que, mesmo não tendo passado pela experiência da maternidade anteriormente, as minhas vivências, a minha sensibilidade e o meu estudo tornaram-me apta para formar algumas ideias sobre o assunto. 
Se eu sei tudo sobre como educar uma criança? Se eu faço tudo certinho como mãe? Obviamente que não. Mas, como a maior parte das mães, eu tenho sempre a melhor das intenções. ;)

Encantos e perigos de um homem histérico

Eros quando solteiro foge diante de um possível relacionamento profundo. Mas gosta de manter uma mulher apaixonada sem assumi-la (pela necessidade da certeza de ser amado). Eros histérico continua freneticamente seu jogo de sedução, porém, finalizada a sedução ele não sabe mais o que fazer, ali entra em territórios desconhecidos. Evita um vínculo mais sólido porque seria deparar-se com a sua impotência diante de algo ou de uma situação e dessa forma fica evidenciado aquilo que poderia ter sido e não foi: o verdadeiro homem.
Toda mulher com uma relativa experiência afetiva é capaz de reconhecer perfis de homens com os quais se deve estar alerta. É quase como se uma luz piscasse com o texto: "Perigo! Mantenha distância".  Apesar disso, não raro envolvem-se com eles mesmo assim e saem chorando no final.
Dentre esses perfis evitáveis que simplesmente não conseguimos evitar, está o que a Senhorita Patinete chama de  Heros histérico. Hoje entenderemos melhor como funciona esse tal…