Looks para se inspirar nas festas de final-de-ano - Achados Renner

Estar na moda, sem gastar quase nada, é o sonho da grande maioria das mulheres, não é verdade? Pelo menos é o daquelas que procuram diversificar o closet, buscando adquirir peças que se encaixem no dia-a-dia atribulado, lotado de compromissos, que, muitas vezes, exigem um dress code diferenciado, como looks para o trabalho, baladas, almoços e jantares em família, dentre milhares de outras ocasiões.

Para a alegria de nós, pobres mortais, algumas lojas de departamento (denominadas fast fashion, uma vez que reúnem as principais tendências das passarelas e uma produção mais rápida e barata) têm investido, de forma cada vez mais evidente, no consumidor que busca preços mais acessíveis, mas que não abre mão da novidade e variedade. Um exemplo disso são as lojas Renner.

Pois bem, gurias, como falei no post anterior, pensando nas festas de final de ano que já estão aí, batendo na porta, e nas muitas despesas que costumamos ter nessa mesma época, com a ajuda da minha modelo (ninguém menos que Ana, que veio nos prestigiar aqui no Sul - amoooooo!), montei alguns looks que podem fazer tanto nossa cabeça, quanto caber no nosso bolso (obaaaaaaaaaaaaaa!). Em primeiro lugar, mostrarei algumas sugestões para o Natal:






Para aquelas que procuram a simplicidade, uma roupticha mais confortável, mas sem perder o glamour, o conjunto de regata (que imita uma seda) e short (de paetês, super ajustável ao corpo) sai pelo precinho amigo de R$ 125,80 - fala a verdade, suuuuuuper amigo!

Regata: R$ 35,90
Short de partês: 89,90
     







Na mesma linha, esse conjuntinho cropped, que tem sido largamente utilizado pelas fashionistas de plantão, queridinho do verão, sai pela módica quantia de R$ 119,80.
Contudo, muuito cuidado! Pra usar um conjuntinho desses, o corpitcho deve estar em forma (assim como o da minha modelo exclusiva!;-)). Só assim você se sentirá confortável, sem a neura de que, diante de qualquer movimento, alguma gordurinha indesejada possa sair do lugar!

Top: R$ 39,90
Saia de paetês: R$ 79,90


  

A regata acima vem agora acompanhada por uma belíssima saia bordada em paetês dourados (um luxo, quase um Patrícia Bonaldi!) e pode transitar tanto em uma festinha mais intimista, quanto em uma balada mais cool.

Regata: R$ 35,90
Saia de patês: R$ 149,00  







Nessa nossa última sugestão para a festa do Bom Velhinho, o vestido de franjas é um a r r a s o!!!! Juro que, infelizmente, a foto não fez justiça à beleza da peça, protagonista de qualquer festa de arromba!
Além do movimento das franjas ser "algo", ela dá uma notável alongada na silhueta, proporcionando a sensação de emagrecimento instantâneo (uhuuuuuuuuu!)
Chique demaaaaaais (para você, que está torcendo o nariz agora, imaginando que jamais usaria algo tão extravagante, eu digo: experimenta e depois me diz!!!)!!!

Vestido: R$ 149,00  



Então gurias, esses looks não estão demais?
É claro que, numa loja como essas, a probabilidade de se encontrar coisas que não usaríamos e outras tantas, de baixa qualidade, é muito grande. O fato é que temos que nos condicionar a perder um certo tempo, pois vale a pena garimpar roupas que podem ser usadas em mais de uma ocasião e se adequar perfeitamente ao nosso estilo, fazendo a diferença!

No próximo post, Ana vestirá peças que tem tudo a ver com a virada do ano - a g u a r d e m !!!  




Fernanda Alvim é sagitariana, apaixonada, teimosa, convicta, impulsiva e aficionada por limpeza e moda. Sua coluna Mulheres e Moda é repleta de dicas sobre como vestir-se bem sem gastar muito.         

Dicas POWER contra a celulite

Tentou as 6 dicas básicas para reduzir celulite e ainda não está satisfeita? Quer partir para estratégias com resultados mais perceptíveis? Então PRE-PA-RA, porque isso vai doer no corpo - e no bolso. 

Mas a gente aguenta... porque somos Mulheres de Verdade! ;)




Conheça técnicas mais efetivas no combate à celulite:

1. Carboxiterapia

Que fique primeiramente claro: não estou sugerindo que você faça carboxiterapia, porque se o fizesse certamente você me xingaria muito durante cada sessão - acredite, xingaria, porque dói demais.


Trata-se de uma técnica em que se injeta gás carbônico abaixo da pele, o que melhora a circulação e a oxigenação dos tecidos. Sim, amiga, isso é feito com uma agulha e você ficará toda cheia de hematomas. Mas, garanto, os roxos são o de menos. Veja no vídeo abaixo como a técnica é realizada.





O fato é que funciona. Não é milagre, mas, no meu caso, acho que melhorou uns 50%. Se você também briga com as celulites sabe que 50% é um resultado muito bom perto de outras técnicas.

Sugere-se fazer no mínimo por três meses, de duas a três vezes por semana. 


Pontos negativos: É caro e dói MUITO. Consegue imaginar a dor do gás carbônico se espalhando por sua pele e rasgando tudo por onde passa? Não? Já tomou Benzetacil? É mais ou menos isso.
A diferença é que dura mais ou menos um minuto em cada ponto (ou seja, em cada agulhada), e na vez que contei foram 24 pontos entre bumbum, coxas, barriga e flancos (os dois últimos apenas para gordura localizada, sem celulite: aí dói bem menos). Mas se fosse insuportável, eu já não teria feito duas vezes.

2. Manthus / Heccus

Na minha opinião, o melhor custo/benefício. Claro que digo isso porque apenas compro pacotes em promoções do Groupon e Peixe Urbano - fiquem ligadas! Esta é a técnica com a qual tenho sempre melhores resultados. 


Manthus e Heccus são o mesmo aparelho de ultrassom, só muda o fabricante. Além de promover a quebra da célula de gordura, a corrente elétrica acelera a queima da gordura e estimula a ação dos vasos linfáticos.

Dizem que não dói - o que é verdade se você usar uma potência baixa. As fisioterapeutas costumam orientar que mandemos que elas parem de subir a potência antes de começarmos a sentir dor. Já as esteticistas dizem pra gente aguentar o máximo de dor que puder. Nesse caso, amigas, dói sim!
O que vocês acham que eu faço? Sim, o máximo de dor. [Ainda não sei bem se é o cúmulo de amor ou de ódio por si mesma ahaha]

Como a carboxiterapia, sugere-se fazer no mínimo por três meses, de duas a três vezes por semana.

Pontos negativos: É caro e dói se usado em potência alta. Para mim os resultados são bem perceptíveis no início do tratamento. Depois dá uma estabilizada. Portanto, no meu caso é algo para se fazer por um longo tempo [sendo pessimista, tipo, a vida toda]

3. Descolamento 


Se você se enquadra na categoria Mulheres de verdade MEGA corajosas e tem uma poupancinha para investir em sua poupança (trocadilho infame), você pode encarar o descolamento subcutâneo - uma das técnicas anunciadas como definitivas no combate à celulite.

É uma cirurgia e deve ser realizada por um cirurgião membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica - veja aqui se seu médico é membro da SBCP.

Com anestesia geral ou peridural são feitos pequenas incisões por onde são introduzidas cânulas parecidas com as da lipoaspiração. Isso descola a pele, deixando-a solta sobre o músculo para que ela venha a aderir uniformemente depois.

Realmente, ameniza bastante. Mas, infelizmente, bem menos do que eu esperava. Não sei dizer com certeza se eu faria de novo.

Pontos negativos:

  • Como uma cirurgia, você precisará pagar a equipe médica, o anestesista e o hospital (duvido que seu plano de saúde esteja preocupado com suas celulites). 
  • Claro, se estamos falando em cirurgia e anestesia, isso envolve riscos. Pense nisso.
  • O local fica totalmente roxo, como se você tivesse sido atropelada. E sim... dói! Depois de três meses que havia feito ainda sentia a região amortecida. Tá que não sou parâmetro para dor, porque, segundo o médico, minha sensibilidade é atípica. 
*Passei por esse procedimento em fevereiro de 2011.


4. Preenchimento com gordura 


Ok. Mesmo depois da carboxiterapia e do descolamento, acreditam que a "Celulite-mãe" e suas duas filhas teimavam em continuar por este corpinho? Explicando: tratam-se das três depressões de celulite que mais me incomodavam, pois eram muito aparentes mesmo em repouso. A maior, e mais velha, foi por mim denominada "Celulite-mãe" e, claro, eu não nutria simpatia alguma por ela.

Como sou brasileira e não desisto nunca, continuei no ataque. Em setembro de 2011, passei por mais um procedimento: o cirurgião plástico fez uma pequena lipo no interior dos meus joelhos e retirou de lá 30 ml de gordura, que foi utilizada para preencher as três [mal]ditas celulites.

A cirurgia foi simples, com anestesia local - o que não me impediu de ficar bem nervosa.
Mais ou menos uma hora depois... tcharã! Adeus "Celulite-mãe" e suas duas filhas!

Só que depois de alguns meses meu organismo absorveu a gordura e não adiantou de nada. Conheço pessoas com quem a técnica deu certo e ficaram super felizes, mas acho que ficar sem celulite não é pra mim mesmo :(
 
O preenchimento pode ser feito com um produto específico para isso, o que acaba com o risco de absorção. Só que há dois anos, ele custava R$ 2 mil cada ml. Well... acho que diante desse valor posso conviver com minha "Celulite-mãe".  Oh, queridinha, eu te amo!


Pontos negativos:

  • Para mim, foi considerado um retoque da cirurgia anterior (descolamento), portanto teve um custo ínfimo. Mas se for seu primeiro procedimento, possivelmente terá um valor mais elevado.
  • É dolorido, apesar de perfeitamente aguentável. O que dói, na realidade, é a anestesia. No total, foram aproximadamente 5 picadas em cada perna e mais 5 no bumbum. Segundo o médico, o remédio arde por culpa do fabricante (hehehe... engraçadinho).
  • Fica bem roxo depois por algum tempo.
  • O organismo pode absorver a gordura do preenchimento depois.

5. Aplicação de enzimas  - mesoterapia - NÃO RECOMENDO!

Atenção: dói e só funciona enquanto estamos fazendo as sessões!


Consiste na injeção de enzimas nas regiões com celulite e gordura localizada. Durante o tratamento, é fantástico! A gente seca mesmo. 

Pontos negativos:

  • Dói.
  • Fica roxo nos locais em que são dadas as injeções.
  • 15 dias depois de acabar o tratamento, volta tudo. Já haviam me avisado sobre isso antes, mas eu achei que como tenho uma boa alimentação e malho bastante, não aconteceria comigo. Ledo engano. Portanto, isso aqui eu não recomendo!


Se as técnicas acima lhe parecem muito invasivas, experimente as dicas de nosso post anterior.
Continue acompanhando o blog, outras batalhas contra a celulite certamente ainda serão compartilhadas por aqui: mais experiências bem ou mal sucedidas. 


E você, tem dicas para compartilhar com a gente? Serão muito bem-vindas!



Acompanhe:

Como estar na moda? Desvendando o mundo fashion

Moda, glamour, Fashion Weeks... como nós, reles mortais, podemos incorporar isso em nossas vidas? É comum as pessoas construírem um conceito equivocado sobre moda e tudo que a cerca, fazendo-a tornar-se distante das nossas possibilidades do dia-a-dia e, por vezes, até inalcançável. Mas o que de fato moda significa? E como podemos trazê-la para nossos guarda-roupas sem gastar muito? É sobre essas e outras questões que falaremos neste artigo.     
 

A ideia de a moda possuir uma estreita identificação com o glamour dos desfiles, com as tendências compartilhadas nas passarelas, lançamentos esfuziantes, comentados e copiados pelo mundo afora, é a que habita a mente da grande maioria das pessoas (mas a minha não!!!). E não me admira, por esse exato motivo, que seja a moda (coitadinha!) tão mal interpretada, prejulgada, tida como idolatrada por pessoas fúteis, que pouco se importam com os assuntos (classificados pelos que se acham em uma posição superior) mais importantes, nobres e de relevante discussão. Infelizmente, muitas pessoas pensam que a moda é para poucos, custa caro, escraviza, tornando seus seguidores objeto de manipulação por parte de "monstros" que visam o lucro desmedido, que se aproveitam de "pobres coitados" sem personalidade própria. Genteeeeee, o que é isso? #prontofalei

É óbvio que as tendências que compartilhamos hoje se originam de glamourosos desfiles minuciosamente elaborados meses antes, são consequência, sim, de muita pesquisa e experimentação de marcas caríssimas, verdadeiros impérios, ou você acha que a nova coleção alto verão 2014 das Lojas Renner foi inspirada em uma pessoa como eu? Contudo (tks, God!), não se limita a moda a isso, não é resultado de um conceito fechado (ao menos para mim, gostaria de saber a opinião de vocês), vai além disso tudo: é o street style, a arte das ruas, a inspiração de cada dia, o como você está se sentindo e o como você quer demonstrar isso para o mundo (com as roupas que estão ali, desde sempre em sua prateleira).

Como verdadeira aspirante a fashionista, vocês devem imaginar que procuro seguir um certo padrão definido nas Fashion Weeks, procuro consumir roupas que definam "o último grito da moda", mas isso não é regra, não! - surge o momento em que minhas amigas, indignadas, me chamam de mentirosa: "como assim, não é regra? Você, por um acaso, deixa de usar algo que esteja na moda?????" Respondo eu, após um longo suspiro: deixo sim, gurias! O fato é que, como, por motivos óbvios, estou mais ciente do que elas sobre o que rola no "mundo modístico", me interesso e pesquiso mais, acabo conhecendo tantas outras peças que não fazem a minha cabeça, não cabem no meu bolso ou se adaptam ao meu corpitcho. 

Para viver a moda, em primeiro lugar, você tem que se respeitar. Não é porque determinada peça está sendo usada por uma avalanche de pessoas que você será obrigada a incorporá-la ao seu guarda-roupas. Temos todo o direito de não gostar daquela cor, de achar que aquele modelo de saia realça nossas gordurinhas, que aquela calça mais parece ter sido feita com a estampa do sofá da vovó. Muitas das peças-desejo que vejo nas lojas deixam meu corpo horrível (mulheres...). Como tenho busto avantajado, procuro usar peças lisas nessa parte do corpo, muitas vezes escuras, que não chamem tanta atenção. Busco sempre escolher o que é ideal para mim.



Outra coisa em que devemos prestar muita atenção é que o valor de determinada peça não é diretamente proporcional à necessidade de tê-la. O M G, me explica por que motivo euzinha desembolsaria muitos dígitos para adquirir um delicioso par de Louboutin (pra quem não sabe, são sapatos caréeeeeeesimos, desfilados por muitas celebridades - até por Justin Timberlake, baby!), se posso adquirir um semelhante,   que produz o mesmíssimo efeito, na Datelli? Não serei hipócrita a ponto de dizer que não dormiria agarrada em um Louboutin se tivesse um, mas isso somente seria possível (vamos combinar!) se eu ganhasse na mega-sena, mas não jogo; se alguma amiga, que me ama muitooooooo, fizesse a gentileza de me dar de aniversário (é agora no final do mês, gente! Ainda dá tempo de fazer uma vaquinha!) ou se meu maridinho querido, amado, idolatrado salve-salve, ganhasse uma mega-promoção no trabalho, batesse com a cabeça e, ainda, soubesse da existência dessa marca (IMPOSSÍVEL!).



Compro muitas roupas em lojas populares, pesquiso preços, sempre, é claro, prestando muita atenção na qualidade das peças, mentalizando looks que com elas poderia compor (dificilmente compro roupas que combinem com um número muito limitado de peças, pego a roupa, fico repassando todas as outras que deixei em casa, montando produções que façam valer o investimento). Artigos caros em minha coleção são raros, mas uso muitoooooo, só pra ter aquela sensação de que não foi em vão, pois, ao menos para mim, podem se equivaler a outros que consigo garimpar em lojas mais acessíveis, o que me abre a possibilidade de me entorpecer com muito mais peças e fazer o que mais amo: montar, remontar e montar, de novo, incontáveis looks!

Por falar em lojas mais acessíveis, não percam os próximos posts em que, invadindo as principais lojas fast fashion, elegerei peças que podem, por um precinho camarada, brilhar em nossas festas de final de ano - amoooooooooooooooooo!                     

            




Fernanda Alvim é sagitariana, apaixonada, teimosa, convicta, impulsiva e aficionada por limpeza e moda. Sua coluna Mulheres e Moda é repleta de dicas sobre como vestir-se bem sem gastar muito.         

Dicas para festa na escola do seu filho

Quem já fez festinha de aniversário para seu filho na escola, sabe como é difícil servir todas as crianças ao mesmo tempo. Mesmo com a ajuda das professoras, costuma ser um stress total. Com a dica a seguir, sua festa ficará muito mais tranquila e você terá apenas que se preocupar em servir as bebidas. 

"Como não pensei nisso antes?" Foi o que veio à minha mente quando vi a ideia de uma amiga: levar embalagens descartáveis já servidas para cada criança. Simples assim! Bonito, prático e funcional. 





Observe que até o bolo já foi cortado. Pode-se, neste caso, cantar parabéns com uma vela decorada ou com uma maquete. Ou, se preferir, pode deixar o bolo da forma tradicional mesmo e cortá-lo ao final. Sendo apenas o bolo a ser servido, não dará tanto trabalho. 

Gostaram? Eu certamente adotarei a ideia no ano que vem. :) 

Fitness: buscando e alcançando resultados

Hoje falaremos sobre persistência e resultados. Nosso primeiro passo foi traçar uma rotina adequada de exercícios, alimentação e descanso - que será continuamente ajustada na avaliação dos resultados esperados versus resultados alcançados. Colocar essa rotina em prática é um passo muito importante. Mantê-la um dia de cada vez, todos os dias, é outro passo essencial. 

A verdade é que quando optamos pela definição corporal e ganho de massa da maneira correta, colocando a saúde em primeiro lugar (sem "roubar" valendo-se de substâncias que podem causar vários danos ao nosso organismo), os resultados podem demorar a aparecer. 



Cada pessoa tem sua individualidade, ou seja, não existe uma "receita de bolo" a ser aplicada com todos igualmente. Isso também pode atrasar o aparecimento dos resultados, uma vez que se precisa encontrar o que funciona com cada um. Se você desistir no primeiro ou no segundo fracasso, deixar de testar alternativas, certamente não alcançará o que deseja.          

Comigo tem sido um caminho árduo, no qual a persistência é muito necessária. Procurei cercar-me de profissionais que sabem o que estão fazendo e seguir à risca suas orientações - e se tem uma coisa que eu sou é disciplinada.

Mas apesar de todo o meu esforço, foram intermináveis meses até os resultados começarem a parecer satisfatórios. 

A primeira vez que tive bons resultados em termos de ganho de massa magra foi oito meses após a primeira avaliação. Todas as avaliações anteriores haviam sido MUITO frustrantes.

Imagina o que é seguir uma dieta sem fazer uma exceção sequer, sem colocar um chocolatezinho na boca, esforçando-se para ingerir o dobro de comida do que eu estava acostumada, não faltando à academia mesmo se o mundo estivesse acabando num temporal, gastar com suplementação e depois descobrir que em dois meses perdeu 2,5kg, sendo 1,5kg de massa magra? Sim, a sensação é de fracasso total. :( 

Professor mudava o treino, nutricionista mudava a dieta, muito esforço, nova avaliação e... novo fracasso. Isso se repetiu todos esses meses até alguns meses atrás. Garanto a vocês que se eu não tivesse um objetivo muito claro na minha mente, já teria desistido, achando que não dava pra isso. 

Meu objetivo? Esse que vocês podem ver na foto abaixo: estar em forma para o NKOTB Cruise 2013. E parece que consegui, não é mesmo?

Maio/2013 - NKOTB Cruise 2013 - Bahamas - Minha meta!!
"O que estamos fazendo de errado?" era a pergunta que eu repetia continuamente. Eu não sabia. Apenas sabia que não estava dando certo comigo. Persisti. Novo treino, novo ajuste na dieta e finalmente as coisas começaram a acontecer.        

Em termos de alimentação, minha nova nutricionista esportiva ouviu atentamente meu relato do que não estava dando certo até agora e tentou uma nova estratégia. Segundo ela, em meu caso - que tenho tendência a acumular gordura -, não seria adequado aumentar ainda mais a ingestão calórica. Então ela optou por um combinado de seis diferentes suplementos alimentares.  

A nova estratégia de treino montada pelo professor da academia também mostrou-se exitosa. Quisera eu continuar com aquele treino, pensando que "em time que está ganhando não se mexe", mas não é assim que funciona na musculação. É necessário mudar o treino periodicamente, senão ele deixa de proporcionar o resultado esperado. Então, a cada dois meses estou com treino novo.

Sério, eu devo ser a aluna mais chata que o professor Cássio tem. Não basta ele montar um treino, ele precisa me explicar tim-tim-por-tim-tim em que premissas ele se baseou para definir os exercícios e o número de repetições.

Para vocês terem uma ideia, às vezes o Cássio recebe recadinhos meus no Facebook como esse: "Prepare seus argumentos, amanhã vai rolar DR. Esse treino novo não vai dar certo." Entenderam porque eu disse que sou uma chata? kkkkk Geralmente ele traz ótimos argumentos que me convencem, mas também fazemos alguns ajustes.      

Agora é continuar firme.
E vamos nessa!  


A partir de agora, você pode acompanhar o diário da minha trajetória fitness no novo blog que tenho a honra de dividir com a amiga e afilhada Malú:  Remix v.2. Dá uma passadinha por lá e deixe seu recadinho de incentivo! ;)



Os meus posts estarão identificados com o seguinte marcador:





Perdeu os posts anteriores da série Fitness? Leia aqui:





Já curtiu Apenas Mulheres de Verdade no Facebook? Curte lá e fique por dentro das atualizações do blog.  

Mulheres e moda - nova coluna de Fernanda Alvim

O universo fashionista é ao mesmo tempo fascinante e intrigante. Definitivamente, entender um desfile de moda não é para qualquer um. Eu, por exemplo, quando folheio uma revista Caras no salão de beleza, penso: "se isso é vestir-se bem, quero continuar me vestindo mal para sempre"

Como vocês podem perceber, eu e o mundo fashion não somos lá muito íntimos. ;)

Animale - SPFW Inverno 2014
Recomendo: Como entender um desfile de moda, por Malú Oliveira

Posso babar nos modelitos do filme "O Diabo Veste Prada", mas de fato não sei como incorporá-los ao meu look diário - especialmente sem dinheiro para investir em peças caras. Comofas? 

Para responder essa e outras perguntas que podem nos ajudar a desvendar os mistérios da moda, hoje temos estreia no blog! Fernanda Alvim assume a coluna "Mulheres e Moda" e passa a partir de agora a compartilhar conosco todo o seu fascínio pelo tema. 

No post de estreia, conheçam quem é Fê e entendam porque ela foi escolhida como colunista deste blog: apenas mulheres de verdade têm coragem de sair da zona de conforto e trocar de profissão para correr atrás de um sonho. E o que esse sonho tem a ver com moda? Confiram abaixo! 

Com vocês, minha amiga Fernanda Alvim...


Olá! Meu nome é Fernanda, sou gaúcha como Ana e a conheço desde a adolescência, época em que ela, apesar de não se sentir confortável com a aparência, jamais chegou a algo próximo ao Patinho Feio (como se descreveu no post anterior, minha inspiração para escrever este), mas, como seeempre digo: cada louco com sua loucura!

Sou sagitariana, apaixonada (sempre oscilo entre os dois extremos, ou amo ou odeio!!!!), teimosa, convicta, impulsiva, muitas vezes mau humorada e aficionada por limpeza e moda. Ahhhhh, a moda! Foi ela quem me trouxe até aqui, ou melhor, foi Ana, consciente da minha verdadeira paixão pelo mundo da moda, quem me incentivou a escrever sobre o assunto, muito embora o que eu tenha escrito até esta etapa da vida se limite a textos jurídicos. 

Sim, sou formada em Direito há longos 11 anos e somente agora tive a coragem de assumir, para mim e para quem possa interessar, que, por contingências da vida ou forças ocultas do destino (danadinhas!), jamais tive vocação pro ofício, tampouco prazer no que fazia. Quiseram essas mesma forças ocultas (agora querendo fazer as pazes comigo) que eu me desligasse da profissão exercida desde o ano em que alcancei meu diploma e viesse a ter um inevitável e proveitoso momento de reflexão (mentira, não foi apenas um, foram vários!), através do qual, pensando e repensando, pesando prós e contras e, principalmente, levando em consideração todo esse tempo em que carreguei um enorme sentimento de frustração, decidi levar meu grande sonho adiante, o de trabalhar com MODA. E por que não?



Lembro, nitidamente, das minhas horas de lazer quando pequena, momentos em que um simples lápis e um caderno eram o suficiente pra que eu me perdesse por horas, absorvida por um emaranhado de croquis (juuuuuuura!), melhor falando, de desenhos de bonecas trajando os mais lindos vestidos (pelo menos eu achava...), saias, blusas, sapatos, chapéus e tantas outras coisas que me fascinavam e continuam a me fascinar. 

Talvez você esteja a se perguntar: mas por que raios a pessoa resolveu fazer Direito? Vai saber... Admito, nem eu mesma sei! Talvez por estar na “moda”, por me permitir extravasar essa personalidade forte (sim, sou furiosa!), por nunca ter ouvido falar, na época, em uma faculdade ligada à moda, não importa. O que realmente conta é que (obrigada Senhor!) estou aqui, ansiosa para poder iniciar essa nova profissão e compartilhando cada engatinhada, cada conquista (queira Deus que sejam muitas), pois, como se diz, antes tarde do que nunca!

Acordo pensando em moda (sério, a única falta que minha antiga profissão me faz é a de ficar imaginando que roupas e acessórios eu colocaria no dia seguinte pra trabalhar), me perco pensando em moda (Thássia Naves e Miroslava Duma são minhas melhores amigas, embora ainda nem saibam que eu existo – ainda!), é isso que sei fazer, é isso que AMO fazer e é sobre isso que falarei, quinzenalmente, com vocês. 

Pois bem, voltando à minha descrição anterior, sou sagitariana, apaixonada, teimosa, convicta, impulsiva, muitas vezes mau humorada, aficionada por limpeza e moda e colunista de moda, uhuuuuuuuuuuuuuuuuuuu!!!!





E que venham outros e outros e outros 11 anos de profissão, mas de felicidade...

Obrigada Ana por me proporcionar essa fascinante experiência, você sabe que é minha ídola (além do nosso NKOTB, óoooooobvio!).    

Como ser mais atraente

Por mais que acreditemos que a beleza das pessoas está no interior, em sua essência, vivemos numa sociedade em que somos julgadas pela aparência. #fato. Às vezes podemos cansar da forma como somos julgadas e decidir mudar. Se você está nessa busca por mudanças, compartilho abaixo algumas dicas de como tornar-se mais atraente.    

Foto de Rodrigo Carletti - maio/2013

Quando eu tinha 16 anos, eu estava numa fase meio patinho feio - bem diferente da foto que vocês vêem acima, aos 35 anos. Tinha engordado, trazia espinhas no rosto, usava óculos com lente grossa. Eu me sentia feia. Ainda mais ao lado das minhas primas e amigas, que chamavam muito a atenção dos meninos. Conversando na época com uma delas a esse respeito, ela me disse algo que observo como verdadeiro até hoje: 


"Eu percebi que não importa o corpo que a gente tem, importa como a gente se veste. Com o mesmo corpo, sua imagem é uma se você usar bermuda, camisetão, meião e tênis e outra completamente diferente se você usar calça jeans, blusa mais justa e sapato de salto."

Comecei a observar as mulheres na rua e percebi que minha prima estava certa. Até hoje olho minhas amigas e percebo algumas delas acima do peso fazendo muito mais sucesso pela forma que se vestem do que outras que têm um corpinho dentro dos padrões mas se escondem dentro de roupas largas. 

O mesmo vale para o rosto: você pode não ter um rosto lindo, mas se souber usar um corte, cor e penteado legal nos cabelos e uma maquiagem que lhe valorize, pode ficar muito mais atraente que uma mulher linda que não se liga na aparência.      

O fato é que a forma como nós nos mostramos é impactada pela percepção que temos de nós mesmas. Escrevi sobre isso ontem no blog de fitness Remix v.2 e convido você a dar uma refletida sobre o assunto lendo meu post: Qual imagem temos de nós mesmos? 

Você pode estar pensando agora: ok... mas como eu faço para mudar?  Primeiro, você precisa tomar a decisão de mudar e ser firme! Depois você pode usar diversos recursos disponíveis para ajudá-la nessa trajetória, como buscar uma psicóloga (por que não?) e também acompanhar relatos de outras pessoas que estão fazendo o mesmo percurso, como eu e a Malú no Remix v.2.  

Precisa, antes de qualquer mudança exterior, promover mudanças dentro de si. 
Uma vez uma terapeuta de balanceamento muscular me receitou o seguinte "medicamento", que deveria ser repetido uma vez ao dia: 

Dizer em voz alta, 4 vezes, a seguinte frase, batendo no ponto ID3 da mão: 

"Eu, firmemente e profundamente, me amo, me aceito e me respeito com todos os meus defeitos e meus problemas."

Eu fecho a mão esquerda e dou batidinhas no ponto ID3 (circulado na imagem)
com os dedos indicador e médio da mão direita

A fisioterapeuta relatou que as mulheres que utilizam esse recurso são vistas de uma forma mais radiante, pois tornam-se mais confiantes em si mesmas. Que tal tentar? Eu tenho essa frase escrita ao lado da minha cama e até minha filha já sabe decor. :)

Lembra como comecei este post? Eu dizia que a beleza está dentro da gente. Acredito firmemente nisso. Precisamos acreditar mais em nós mesmas e a técnica mostrada acima pode ajudar. Além disso, cuidar da aparência física também reforça a geração de uma maior estima por nós mesmas. Então que tal começar a se mexer?

Você encontra mais dicas em nossa coluna Fitness.