Pular para o conteúdo principal

Como lidar com pessoas doidas

Quando assisti Patch Adams - o amor é contagioso, uma constatação me chocou: como uma das personagens do filme, eu também teria sido assassinada pelo doido. Lembram dessa cena? A mocinha do filme, solidária que era, atende ao chamado de um dos pacientes à noite, indo à casa dele prestar ajuda, quando é assassinada. Motivo? Nenhum, o cara era apenas um desequilibrado mental.




A namorada assassinada no filme.
Na vida real, foi o melhor amigo de Patch Adams que foi assassinado. 

Estamos rodeados de doentes assim, mesmo que nem sempre consigamos reparar nisso. Eu, particularmente, sou uma pessoa que atraio gente doida. Por um simples fato: eu bato palma pra doido dançar. Quer dizer, como a mocinha do filme, eu me solidarizo, dou carinho e atenção. Converso, converso, converso... atendo nos momentos em que estão em desequilíbrio, falo as "coisas certas" que apaziguam seus corações nessas horas. 

Isso parece bom? Mas não é. Porque a paz dessas pessoas é temporária. Os fantasmas estão dentro delas, não fora. E quando elas entram em desequilíbrio de novo, quem elas procuram? Bingo! Você. 

São sempre variações dos mesmos problemas, com os quais não conseguem lidar devido a imaturidade, insegurança e uma dose de loucura. Algumas pessoas são apenas emocionalmente instáveis. Outras são malucas mesmo - e me perdoem a falta do "politicamente correto".

Adivinhem o que acontecerá a primeira vez que você não estiver completamente disponível para atendê-los? Toda a loucura volta-se contra você. Não importa o que você faça, os anos que você tenha amparado aquela pessoa. Não importa o quanto seja gentil. Ela se voltará contra você com a mesma força que você a viu fazer contra os outros "monstros" anteriores.



Como manter-se afastado desse tipo de gente? Difícil, porque essas pessoas estão em todos os lugares. Tenho a impressão de que as redes sociais desvelam mais claramente essas nuances da personalidade delas. Quando comecei a frequentá-las, na época do finado Orkut, fiquei impressionada com o que lia nos fóruns das comunidades. Num primeiro momento, eu tentava encontrar justificativas para a grande "concentração de gente doida":

- Ah, mas nessa comunidade isso acontece porque é de fãs de uma boy band, todo tipo de fanatismo tem algum desequilíbrio por trás.  

- Ah, mas aqui isso acontece porque é comunidade de uma doença grave, as pessoas estão desequilibradas por estarem passando por isso.

Mas, de repente, comecei a perceber que em toda comunidade isso se repetia: qual seria o motivo de desequilíbrio, por exemplo, das pessoas numa comunidade de funcionários concursados de uma grande empresa? E quando comecei a analisar os comentários de sites de notícias... já tiveram essa experiência? Minha conclusão: onde houver pessoas reunidas, haverá gente doida no meio, simplesmente porque muitas pessoas de fato SÃO doidas. Não importa o grau de escolaridade, a classe social, o emprego que têm. Sempre haverá os doidos que desestabilizam o grupo. 


Diz o ditado que de médico e louco todo mundo tem um pouco. Ninguém que está nesse mundo é completamente maduro e equilibrado a todo tempo. Então o nosso desafio maior é perceber qual o limite da loucura do outro que não nos afeta. Quando começar a impactar na nossa vida, a nossa paz, por mais carinho que você tenha pela pessoa, é hora de se afastar. Frio? Desumano? Não. É uma questão de preservação. Existem várias formas de ser assassinado por um doido, não necessariamente a morte física.

Portanto, não dê poder para quem não tem. Preserve-se. Concentre-se nas suas próprias loucuras e deixe que cada um cuide da sua.  

Comentários

  1. Reflexão bastante interessante, Ana, bastante. Uma coisa é certa: quero distância de gente assim. SEMPRE.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Comentários dos leitores e leitoras são muito bem-vindos, pois enriquecem o blog com diferentes pontos de vista e relatos de experiências.
Mas estejam atentos às regras básicas de ética e boa convivência. Comentários em desacordo com elas ou que fujam ao tema do post poderão não ser aceitos.

Postagens mais visitadas deste blog

Medo de barata - transtorno sexual ou alergia?

Ver uma pessoa gritando diante de um inseto de cinco centímetros que não morde nem ataca seres humanos pode parecer irracional. O que muitos não sabem é que existem teorias que explicam o medo de barata, que acomete principalmente mulheres (mas também alguns homens).


O medoDe modo geral, ter medo é natural e até uma questão de sobrevivência. Por exemplo, o medo que nos leva a dirigir com as janelas do carro fechadas e a estarmos atentos à nossa volta ao pararmos na sinaleira pode evitar que sejamos pegos desprevenidos por um assaltante. No entanto, alguns medos podem prejudicar-nos em muitos aspectos de nossas vidas, como aqueles que se transformam em fobias.


Este post sobre o medo de barata é o primeiro de uma série de três. Na sequência dele, falaremos ainda sobre o enfrentamento de medos, como o medo de voar de avião e o medo de fazer exame de sangue. Compartilharemos também algumas dicas para perder o medo, que podem servir para qualquer tipo deles.

Medo de barata
Confesso a vocês qu…

A difícil tarefa de educar uma criança

Antes de eu ser mãe, as pessoas costumavam invalidar minhas opiniões sobre a educação de crianças - mesmo eu sendo pedagoga, ou seja, formada em Educação. Isso não valia para elas, pois teoria é teoria e prática é prática. Também não era válido o meu longo histórico de ótimo relacionamento com crianças, porque cuidar dos filhos dos outros não é educar. 

Pois bem, em parte elas tinham razão: "quem fala de sangue, e não está sangrando, é um impostor", já dizia Fernando Sabino. Em partes. Porque, agora que eu sou mãe, não só acredito nas mesmas coisas como também vejo-as reforçadas na prática. O que quer dizer que, mesmo não tendo passado pela experiência da maternidade anteriormente, as minhas vivências, a minha sensibilidade e o meu estudo tornaram-me apta para formar algumas ideias sobre o assunto. 
Se eu sei tudo sobre como educar uma criança? Se eu faço tudo certinho como mãe? Obviamente que não. Mas, como a maior parte das mães, eu tenho sempre a melhor das intenções. ;)

Encantos e perigos de um homem histérico

Eros quando solteiro foge diante de um possível relacionamento profundo. Mas gosta de manter uma mulher apaixonada sem assumi-la (pela necessidade da certeza de ser amado). Eros histérico continua freneticamente seu jogo de sedução, porém, finalizada a sedução ele não sabe mais o que fazer, ali entra em territórios desconhecidos. Evita um vínculo mais sólido porque seria deparar-se com a sua impotência diante de algo ou de uma situação e dessa forma fica evidenciado aquilo que poderia ter sido e não foi: o verdadeiro homem.
Toda mulher com uma relativa experiência afetiva é capaz de reconhecer perfis de homens com os quais se deve estar alerta. É quase como se uma luz piscasse com o texto: "Perigo! Mantenha distância".  Apesar disso, não raro envolvem-se com eles mesmo assim e saem chorando no final.
Dentre esses perfis evitáveis que simplesmente não conseguimos evitar, está o que a Senhorita Patinete chama de  Heros histérico. Hoje entenderemos melhor como funciona esse tal…