Pular para o conteúdo principal

O mico da história

Todo mundo precisa pagar um grande mico na vida, nem que seja pra ter uma história engraçada pra contar aos amigos.



Quem me conhece pessoalmente sabe que sou uma pessoa muito comportada e nem bebo, então não são muitas as oportunidades de eu dar um vexame.

Mas semana passada eu me superei (infelizmente). E desafio os leitores: se vocês tiverem uma história desse nível ou pior (se é que isso é possível), não deixem de compartilhar nos comentários pra gente rir de vocês também (rir só de mim é sacanagem, sejam solidários!).

Estávamos lá na festa de 40 anos de um amigo, curtindo o som da banda Lado A. Eu e as meninas estávamos na primeira fila, babando a beleza dos músicos (ô lá em casa...).

Parecia um bando de adolescentes. Até aqui, quem me conhece, sabe que é normal - porque sou a maior fã dos New Kids on the Block e por isso estou acostumada a essa vida de groupie kkkk.

[Não, gente, o mico em questão hoje não é ser fã dos New Kids. Ta que isso também não é uma coisa que deixa meu pai muito orgulhoso... rs, mas foi pior, acreditem.]

Acabou o show e claro que eu fui a única que tive coragem de ir tietar. Minhas amigas sempre se perguntam o que coloco na minha água na balada, porque apesar de ser a única que não bebe, sou sempre a mais animadinha.

Fui lá, conversei com o gatinho, tirei foto. Ele foi super simpático apesar de provavelmente estar pensando: "Aff... mais uma piriguete atirada. O que a pessoa não precisa aturar na busca do sucesso profissional? A gente tenta ser reconhecido pelo talento, mas elas só enxergam o rostinho bonito..."

[Pausa para esclarecimento: se ele pensou isso, estava sendo injusto, porque a gente vê o corpinho bonito também ;) Brinks, o cara canta muito bem. E canta sorrindo, por isso encantaria mesmo se não fosse tããão gato]

[Pausa para esclarecimento 2: eu pareço piriguete, mas sou só uma mãezinha de família - ok, todo mundo sabe disso, esclarecimento meio desnecessário dona Ana, ta na cara que você não leva jeito pra piriguetagem]

Convenhamos, tirar foto com banda já é um micão. Sim, a minha cara!
Certamente já tem gente achando que até aqui já paguei o maior mico. Uma amiga pra quem contei a história disse: "Eu não acredito que você foi falar com o cara! Uma mulher tão inteligente e madura... Meu Deus, você é uma pessoa tão linda, não precisa dessas coisas."

Ai... estou só sendo uma adolescente sem noção! Eu mereço isso depois de mais de 30 anos sendo a perfeitinha certinha. [Ops... eu disse mais de 30? Quis dizer 26... rs]

Enfim, eis que o momento King Kong se aproxima. Termina a banda, começa o DJ.

Agora pensem numa pessoa que ama dançar... e não, eu não preciso beber pra baixar a loira do Tchan em mim.

E estava lá eu mandando ver no "subiu na prancha, cuidado tubarão vai te pegar", vestido curtinho subindo, "sensualizando" como minha amiga ri da minha cara pra dizer, quando a vocalista da banda chega pra mim e diz: "teu absorvente está pendurado".

Ãh?? Que absorvente?? 
Mas não era hora de discutir aquela informação. Como é que eu ia argumentar que não estava de absorvente? Mas não estava mesmo!

Fui ao banheiro checar o que estava acontecendo e adivinhem? Eu tinha ido ao banheiro antes, colocado papel higienico pra não sentar direto no vaso e quando levantei ele deve ter ficado grudado na minha perna e eu não vi, coloquei a calcinha e o papel ficou lá pendurado. Não dava pra ver até eu começar a "sensualizar", ou seja, começar a dançar e o vestido subir.

Imaginem a cena grotesca que deve ter sido! Tenho é que agradecer se isso não aparecer no Youtube (por favor, gente, eu sou legal, tenho uma filha de 5 anos, não façam isso comigo!!)

Como é que uma pessoa que não bebe faz uma coisa dessas?? Simples, eu estava cuidando da amiga bêbada que tinha acabado de cair de quatro no meio da sala (só pra vocês saberem que o meu não foi o único mico da noite), toda preocupada com ela, catando os sapatos que ela tinha acabado de tirar e espalhar pelo banheiro. Aí, num momento de desatenção, já era a minha reputação!

E precisava ser na frente dos gatinhos da banda??

Outra amiga que contei essa história me perguntou: "E ele te ligou?" kkkkkkkkkk Piadista ela.

Enfim, essa foi a piada do final-de-semana - e tenho a impressão que será a piada do século. Nem minha mãe aguentou ficar sem rir quando eu contei, bem que ela tentou. Com certeza não precisarei fazer abdominais essa semana, porque o tanto que eu ri nos últimos dias por causa dessa história já foi suficiente pra me deixar com gominhos na barriga.

Só rindo, né? Na hora a vontade era chorar, mas me recompus logo e dancei até quase o final da festa.

E se alguém comentar alguma coisa, faz de conta que eu estava bêbada também e nem lembro de nada.

Quanto à banda, por melhor que ela seja, acho que nunca mais eles me verão num show. Porque mesmo que eu vá em outro, certamente estarei lá escondidinha no meio do povo. Ou de máscara, sei lá.

Eu suponho que aquele cara seja casado e isso seja praga da mulher dele. Desculpaê, primeira-dama-do-gatinho-da-banda, não faço mais isso, prometo!

E por que estou contando toda essa história vergonhosa no meu blog? Eu não sou uma pessoa egoísta, né? Não podia guardar isso pra eu rir sozinha. Por isso que enquadrei este post na categoria "Mulheres e Solidariedade" ;)

Só escondendo a cara mesmo, dona Ana... tst tst tst

Agora será que vocês podem contar os micos de vocês também só pra eu me sentir menos pior? A casa agradece.

Ah, vai lá e curte a fan page da Banda Lado A no Facebook. Você não vai se arrepender (mas não conta que fui eu que indiquei, afinal, eu não existo!)  

Comentários

  1. Haahahahaha ! Não acredito!! Tô Sentindo uma vergonha alheia gigantesca!!! Mas, impossível não rir, Ana! desculpaê, mas que micão!! Infelizmente, não tenho nenhum mico nesse nível pra contribuir...e vc jah pagou mico suficiente pra duas encarnações! Hahahaha Fica no New Kids de novo!! Hahahaha bjs

    ResponderExcluir
  2. HUAHUAHUAHUAHUA, sem noçãaaaaaaaao! Bah, mmuito azar, amiga... Vou te dizer que meu sentimento maior foi de solidariedade, o achar engracado foi só um detalhe... :-(

    ResponderExcluir
  3. Ah, Ana, nem achei tão ruim!
    Quer dizer, suuuuuper ultra mega vergonhoso, mas não foi culpa sua.
    Porque, agora que você chegou na adolescência e fica fazendo adolescentices de adolescente, estava lhe imaginando se expondo ao ridículo de propósito!
    Não foi o caso.
    Mas eu não queria jamais estar no seu lugar! #vergonha
    Beijinho e até amanhã! (Porque aqui, agora, já é amanhã! =D)

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Comentários dos leitores e leitoras são muito bem-vindos, pois enriquecem o blog com diferentes pontos de vista e relatos de experiências.
Mas estejam atentos às regras básicas de ética e boa convivência. Comentários em desacordo com elas ou que fujam ao tema do post poderão não ser aceitos.

Postagens mais visitadas deste blog

Medo de barata - transtorno sexual ou alergia?

Ver uma pessoa gritando diante de um inseto de cinco centímetros que não morde nem ataca seres humanos pode parecer irracional. O que muitos não sabem é que existem teorias que explicam o medo de barata, que acomete principalmente mulheres (mas também alguns homens).


O medoDe modo geral, ter medo é natural e até uma questão de sobrevivência. Por exemplo, o medo que nos leva a dirigir com as janelas do carro fechadas e a estarmos atentos à nossa volta ao pararmos na sinaleira pode evitar que sejamos pegos desprevenidos por um assaltante. No entanto, alguns medos podem prejudicar-nos em muitos aspectos de nossas vidas, como aqueles que se transformam em fobias.


Este post sobre o medo de barata é o primeiro de uma série de três. Na sequência dele, falaremos ainda sobre o enfrentamento de medos, como o medo de voar de avião e o medo de fazer exame de sangue. Compartilharemos também algumas dicas para perder o medo, que podem servir para qualquer tipo deles.

Medo de barata
Confesso a vocês qu…

A difícil tarefa de educar uma criança

Antes de eu ser mãe, as pessoas costumavam invalidar minhas opiniões sobre a educação de crianças - mesmo eu sendo pedagoga, ou seja, formada em Educação. Isso não valia para elas, pois teoria é teoria e prática é prática. Também não era válido o meu longo histórico de ótimo relacionamento com crianças, porque cuidar dos filhos dos outros não é educar. 

Pois bem, em parte elas tinham razão: "quem fala de sangue, e não está sangrando, é um impostor", já dizia Fernando Sabino. Em partes. Porque, agora que eu sou mãe, não só acredito nas mesmas coisas como também vejo-as reforçadas na prática. O que quer dizer que, mesmo não tendo passado pela experiência da maternidade anteriormente, as minhas vivências, a minha sensibilidade e o meu estudo tornaram-me apta para formar algumas ideias sobre o assunto. 
Se eu sei tudo sobre como educar uma criança? Se eu faço tudo certinho como mãe? Obviamente que não. Mas, como a maior parte das mães, eu tenho sempre a melhor das intenções. ;)

Encantos e perigos de um homem histérico

Eros quando solteiro foge diante de um possível relacionamento profundo. Mas gosta de manter uma mulher apaixonada sem assumi-la (pela necessidade da certeza de ser amado). Eros histérico continua freneticamente seu jogo de sedução, porém, finalizada a sedução ele não sabe mais o que fazer, ali entra em territórios desconhecidos. Evita um vínculo mais sólido porque seria deparar-se com a sua impotência diante de algo ou de uma situação e dessa forma fica evidenciado aquilo que poderia ter sido e não foi: o verdadeiro homem.
Toda mulher com uma relativa experiência afetiva é capaz de reconhecer perfis de homens com os quais se deve estar alerta. É quase como se uma luz piscasse com o texto: "Perigo! Mantenha distância".  Apesar disso, não raro envolvem-se com eles mesmo assim e saem chorando no final.
Dentre esses perfis evitáveis que simplesmente não conseguimos evitar, está o que a Senhorita Patinete chama de  Heros histérico. Hoje entenderemos melhor como funciona esse tal…