Pular para o conteúdo principal

Fitness: dicas para modelar o shape


Algumas pessoas possuem muita dificuldade para ganhar massa muscular e definir o corpo. É o seu caso? O meu também. Neste post, compartilho com vocês algumas das descobertas que tenho feito nessa trajetória em busca de um corpo bonito e saudável.  

Minha amiga Bárbara Bicalho - inspiração
Foto de Hay Torres
Primeiramente, um pouco de história: faz um ano que passei a me exercitar de uma forma mais séria e consciente. Comecei com Pilates, Remo e exercícios em casa (Air Climber e plataforma vibrátil). Sete dias por semana, sem falhar. Há alguns meses, faço apenas musculação, de 5 a 6 vezes por semana.  

Um ano? Então já está com um corpão, né? Pior que não. :/ 
Não posso desfazer de meus resultados: é claro que percebo diferença no meu corpo, mas ainda estou longe de alcançar meu objetivo.   

Vamos então à primeira coisa que descobri: eu achava que era difícil, mas estava enganada. Na verdade, é MUITO difícil. Achava que implicaria esforço e algumas privações. Na verdade, exige MUITO esforço e MUITAS privações.   

Sabemos que a genética ajuda algumas pessoas nesse processo. Pois bem, a minha genética não me ajuda em nada. Além da dificuldade de ganhar massa magra, ainda tenho facilidade para acumular gordura e celulite. Falando em celulite, se você também sofre com ela, deveria ler: E daí que eu tenho celulite?

Depois de alguns meses me exercitando e tomando alguns suplementos sob orientação da nutricionista, percebi que alguma coisa eu devia estar fazendo errado, já que apesar de estar mais durinha, continuava magrela do mesmo jeito. 

Por que eu não estava crescendo? 
Esta foi a pergunta que fiz à minha amiga Bárbara Bicalho e seu preparador físico Márcio Santos

Bárbara Bicalho e Márcio Santos - orientação adequada

Foi quando eles me explicaram sobre o tripé que sustenta o ganho de massa magra: TREINO, ALIMENTAÇÃO e DESCANSO.  

Vejamos um pouquinho sobre cada um deles.           

TREINO


Márcio Santos passou comigo a série que eu costumava fazer na academia. Foram os mesmos exercícios, mas executados de uma forma diferente. 

"Acabou o passeio no bosque", foi o que ele me disse - e essa frase resumiu perfeitamente o momento.
Até então, eu pegava uma carga que eu julgava ser o meu limite. Cumpria a série e terminava bela e plena, sem nem suar.

Naquele dia com o Márcio, descobri que, além da carga, a técnica também fazia a diferença. Ele aumentou a carga e me orientou a executar os exercícios muito devagar. D-E-V-A-G-A-R. Especialmente a volta.     
Resultado: terminei o treino suada e descabelada. 

Mais uma descoberta: sabe quando você acha que não aguenta mais? Pois bem, descobri naquele dia que depois disso a gente ainda aguenta mais umas duas repetições.

Isso me lembrou um post do Babi Fitness, blog da Bárbara: Você está malhando ou treinando?  Daquele dia em diante, passei a treinar.   



ALIMENTAÇÃO


Há quatro anos, a palavra que resume minha dieta é DISCIPLINA. Desse modo, eu julgava que, se havia algo de errado na minha rotina, não estava na alimentação. 

O professor Márcio olhou detalhadamente meu cardápio diário e disse: "Sinceramente, sua dieta é muito boa. Pra quem deseja apenas uma vida saudável, está excelente. Mas essa não é uma dieta para quem deseja ganhar massa muscular".

Mais uma vez, ele estava certo. Eu comia muito pouco! 
Ele me encaminhou para um nutricionista esportivo. Agora, já na segunda nutricionista especializada em Nutrição Esportiva, eu ingiro diariamente o dobro de calorias que naquela época. Meu medo inicial de engordar já foi superado (lembram que contei que tenho facilidade para acumular gordura?). No início era difícil comer tanto. Mas agora, com o treino intenso, sinto fome o tempo todo.   

Em termos de suplementação, hoje tomo apenas isso: 



Vamos a mais uma descoberta: tudo isso custa caro, muito caro. A mensalidade da academia, definitivamente, é o de menos. :/

Mas não pensem os novatos na maromba que comer bastante quer dizer comer qualquer coisa. A dieta é muito restrita. Açúcar zero. Gordura calculada. Isso significa que não é fácil comer na rua. Pizza com os amigos? Já era, baby. Você até pode sair junto, mas vai apenas olhar. 

Eu saio de casa diariamente com uma bolsa térmica cheia de comida: todos os lanches e o almoço. Na época em que estava trabalhando 10 horas diárias para pagar horas da greve, eu levava a janta também.   

E se eu esqueço de levar o lanche quando saio no fim-de-semana? Raramente esqueço. Mas se acontece, vou atrás de uma padaria para comprar meu pão integral, requeijão light, queijo minas light e peito de peru (light também, claro). 

Festa de aniversário, todo mundo comendo salgadinhos e brigadeiros e você comendo um sanduiche de peito de peru que levou de casa? É, amiga, faz parte. Sim, você vai parecer um alien. Mas se tiver um objetivo claro (já falamos sobre a importância disso aqui), você não se importará em parecer esquisita. Bem, eu não me importo.

É sério. Dirijo pra balada comendo sanduíche e deixo uma garrafinha de suplemento no carro me esperando para a volta - nem pensar em perder peso por dançar tanto, né gente?     

E dá-lhe água! Sem ela, nada no corpo funciona! Tenho muita dificuldade com isso, porque não costumo ter sede. Então comprei uma garrafa térmica que fica na minha mesa no trabalho e tenho o compromisso de enchê-la e "zerá-la" duas vezes - uma vez pela manhã e uma vez à tarde. O mesmo com a garrafinha da academia durante o treino.  


DESCANSO


Flickr - Natesh Ramasamy
Se você entrar na neura de malhar pernas todos os dias, como eu vinha fazendo (mesmo em modalidades diferentes), você não dá chance para seu corpo se recompor. A grosso modo, quando estamos fazendo o exercício, destruímos algumas fibras musculares. O corpo precisa de um tempo de descanso para recompor tais fibras e, quando faz isso, novas fibras surgem junto. É por isso que o músculo cresce.
E por isso também que precisamos dar um tempo para aquele grupo muscular se recuperar, caso contrário, o corpo não dá conta nem mesmo de restaurar as fibras danificadas e... perdemos massa. Quer dizer, temos o resultado contrário. 



  ...

Eu sei que tudo isso é difícil, mas acredite: quando você pega o ritmo, vira rotina. 
Faltar a academia hoje? É como faltar ao trabalho, só por força muito maior. 
Até doente a gente acha que dá conta de treinar - aí ficamos ouvindo sermão da mãe e do chefe por causa disso. 

Sem dúvida, só há um jeito de conseguir: começando, dando o primeiro passo. 
Depois é meio que a filosofia do AA: um dia de cada vez. "Só por hoje vou manter a dieta sem exceções e não faltar o treino". 
Só por hoje. A cada dia. E quando você perceber, virou rotina.


Se você perdeu, não deixe de ler o primeiro post de nossa série Fitness: 




Já curtiu Apenas Mulheres de Verdade no Facebook? Curte lá e fique por dentro das atualizações do blog.  

Comentários

  1. Nooossa!! Se eu fizesse tanto exercício viraria um cambito!! (rs*) Tenho tendência a emagrecer e pratico natação todos os dias, pois tenho que manter o preparo físico, principalmente a respiração por causa do mergulho. Me alimento em intervalos regulares e depois das 8hs da noite, não como mais nada e dou um descanso de 12hs para equilibrar o organismo. Não me privo de comer e beber quando saio. Acho que não sou boa para dar conselhos no quesito fitness...
    Gostei de receber a sua visita! Fiquei feliz!!
    Beijus,

    ResponderExcluir
  2. Legal que você encontrou bons profissionais, nutricionista sim e esportivo, senão mandam comer torrada com geleia pra crescer.

    Parabéns e uma linda vida!

    ResponderExcluir
  3. E qnto tempo depois vc conseguiu ver os resultados?

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Comentários dos leitores e leitoras são muito bem-vindos, pois enriquecem o blog com diferentes pontos de vista e relatos de experiências.
Mas estejam atentos às regras básicas de ética e boa convivência. Comentários em desacordo com elas ou que fujam ao tema do post poderão não ser aceitos.

Postagens mais visitadas deste blog

Medo de barata - transtorno sexual ou alergia?

Ver uma pessoa gritando diante de um inseto de cinco centímetros que não morde nem ataca seres humanos pode parecer irracional. O que muitos não sabem é que existem teorias que explicam o medo de barata, que acomete principalmente mulheres (mas também alguns homens).


O medoDe modo geral, ter medo é natural e até uma questão de sobrevivência. Por exemplo, o medo que nos leva a dirigir com as janelas do carro fechadas e a estarmos atentos à nossa volta ao pararmos na sinaleira pode evitar que sejamos pegos desprevenidos por um assaltante. No entanto, alguns medos podem prejudicar-nos em muitos aspectos de nossas vidas, como aqueles que se transformam em fobias.


Este post sobre o medo de barata é o primeiro de uma série de três. Na sequência dele, falaremos ainda sobre o enfrentamento de medos, como o medo de voar de avião e o medo de fazer exame de sangue. Compartilharemos também algumas dicas para perder o medo, que podem servir para qualquer tipo deles.

Medo de barata
Confesso a vocês qu…

A difícil tarefa de educar uma criança

Antes de eu ser mãe, as pessoas costumavam invalidar minhas opiniões sobre a educação de crianças - mesmo eu sendo pedagoga, ou seja, formada em Educação. Isso não valia para elas, pois teoria é teoria e prática é prática. Também não era válido o meu longo histórico de ótimo relacionamento com crianças, porque cuidar dos filhos dos outros não é educar. 

Pois bem, em parte elas tinham razão: "quem fala de sangue, e não está sangrando, é um impostor", já dizia Fernando Sabino. Em partes. Porque, agora que eu sou mãe, não só acredito nas mesmas coisas como também vejo-as reforçadas na prática. O que quer dizer que, mesmo não tendo passado pela experiência da maternidade anteriormente, as minhas vivências, a minha sensibilidade e o meu estudo tornaram-me apta para formar algumas ideias sobre o assunto. 
Se eu sei tudo sobre como educar uma criança? Se eu faço tudo certinho como mãe? Obviamente que não. Mas, como a maior parte das mães, eu tenho sempre a melhor das intenções. ;)

Encantos e perigos de um homem histérico

Eros quando solteiro foge diante de um possível relacionamento profundo. Mas gosta de manter uma mulher apaixonada sem assumi-la (pela necessidade da certeza de ser amado). Eros histérico continua freneticamente seu jogo de sedução, porém, finalizada a sedução ele não sabe mais o que fazer, ali entra em territórios desconhecidos. Evita um vínculo mais sólido porque seria deparar-se com a sua impotência diante de algo ou de uma situação e dessa forma fica evidenciado aquilo que poderia ter sido e não foi: o verdadeiro homem.
Toda mulher com uma relativa experiência afetiva é capaz de reconhecer perfis de homens com os quais se deve estar alerta. É quase como se uma luz piscasse com o texto: "Perigo! Mantenha distância".  Apesar disso, não raro envolvem-se com eles mesmo assim e saem chorando no final.
Dentre esses perfis evitáveis que simplesmente não conseguimos evitar, está o que a Senhorita Patinete chama de  Heros histérico. Hoje entenderemos melhor como funciona esse tal…