Pular para o conteúdo principal

A ursinha rosa e a cobra psicopata


Era uma vez uma ursinha cor-de-rosa que vivia saltitando pela floresta. Um dia, ela ouviu um barulhinho atrás de uma pedra, foi conferir e se deparou com uma cobra. 


Ela quis fugir, mas a cobra falou: "Vem cá, ursinha"
A ursa disse: "Não! Você é uma cobra!!!"
E a cobra respondeu: "Mas eu sou uma cobra legal, eu vou te dar muito carinho, vou fazer você feliz. Vem cá, me pega..."

["Ela tava mentindo, né mamãe?" - pergunta minha filha de 4 anos. "É, filha, mas a ursinha não percebeu isso"]

A ursinha pegou a cobra, que era bem abusadinha e já começou a enrolar-se nela.
A cobra dizia assim: "Você precisa me amar, você precisa me amar!" E mimava muito a ursinha para que isso de fato acontecesse.

E aconteceu. 
A ursinha passou 7 meses com aquela cobra enrolada a sua volta e nem se importava de sentir-se tão sufocada, porque a cobra a fazia sentir feliz. Às vezes, pelo menos. 

Um dia, a cobra disse: "Ursinha, casa comigo?" A ursinha ficou meio receosa, mas ela amava a cobra e não queria que ela fosse embora. Respondeu que sim. 
Nesse momento, a cobra dá um bote e "NHAC!"... morde bem forte a ursinha, que ficou sem entender nada. 

["Doeu, Mamãe?" - pergunta minha filha]

Sim, doeu muito e a ursinha ficou doente por causa do veneno da cobra. Ela jogou a cobra longe e foi imediatamente socorrida pelos amigos e pela mamãe ursa, que cuidaram muito bem dela.

Mas a cobra não foi embora.
Ficava lá de longe dizendo: "Ursinha, olha pra mim. Ursinha, fala comigo."


- "Não olho, não falo!" - a ursinha respondia firme - "Por que você não me deixa em paz, sua cobra chata, boba e feia?"

- "Porque eu te amo, ursinha, eu preciso de você na minha vida!"

- "Mas você foi capaz de me morder!" - argumentou a ursinha.

- "Eu prometo que nunca mais vou te maltratar" - prometeu a cobra. E completou dizendo coisas como: "Ursinha, você é perfeita pra mim!" "Ursinha, nós somos almas afins" "Ursinha, Tu Es Ma Came" 



["Era mentira de novo, né mamãe?" - As crianças de 4 anos são sábias...]
["Era, filha, mas a ursinha ficou em dúvida"]

Ela permanecia firme em seu propósito de manter a cobra longe. Aí um dia, a cobra tocou no ponto fraco da ursinha: ela chorou. Chorou e também mandou um trecho de "If You Go Away" dos New Kids on the Block numa mensagem pra ursinha. Aí não havia como resistir, né?

Os amigos gritavam: "NÃO, URSINHA, NÃO FAÇA ISSO!"
A mamãe ursa gritava: "URSINHA, A COBRA É UMA COBRA!"

Mas a ursinha pensou: "Ah, a cobra errou como todo mundo pode errar. Mas ela é boa e quer consertar". 

A ursinha deixou a cobra chegar perto dela. E, quando percebeu, a cobra já estava se enrolando nela novamente. Nem bem tinha se enrolado e... "NHAC!" Mordeu de novo. Mas dessa vez nem doeu tanto, porque ela já tinha defesas contra o veneno da cobra. Pensou: "Todo mundo estava certo e eu errada: a cobra é perversa" A ursinha jogou de novo a cobra longe.... beeeeem longe dessa vez, porque ela estava bem forte agora.

E, de repente, quem chega? [Essa é a nossa parte preferida da história]

O incrível Hulk!!! [Pena que vocês não conseguem ouvir meus grunhidos de Hulk e ver toda a minha encenação da próxima cena]

Ele pega a cobra, bate bate bate ela na parede. Bate bate bate ela no chão. Senta em cima, depois levanta ela pro alto e arrebenta a cobra no meio.

E a ursinha nem se importou. A cobra já tinha morrido pra ela mesmo... e nunca mais lhe fez mal.


FIM

Moral da história:
1. Cobras serão sempre cobras: não acredite nelas.
2. "Sua mãe sabe mais". Portanto, faça sempre o que sua mãe diz.
3. Os amigos são a coisa mais valiosa que podemos cultivar.
4. Nunca esqueça que existe um Hulk dentro de você. Desperte-o e acabe com o que lhe faz sofrer.




Leia também neste blog: Meu adorável psicopata


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Medo de barata - transtorno sexual ou alergia?

Ver uma pessoa gritando diante de um inseto de cinco centímetros que não morde nem ataca seres humanos pode parecer irracional. O que muitos não sabem é que existem teorias que explicam o medo de barata, que acomete principalmente mulheres (mas também alguns homens).


O medoDe modo geral, ter medo é natural e até uma questão de sobrevivência. Por exemplo, o medo que nos leva a dirigir com as janelas do carro fechadas e a estarmos atentos à nossa volta ao pararmos na sinaleira pode evitar que sejamos pegos desprevenidos por um assaltante. No entanto, alguns medos podem prejudicar-nos em muitos aspectos de nossas vidas, como aqueles que se transformam em fobias.


Este post sobre o medo de barata é o primeiro de uma série de três. Na sequência dele, falaremos ainda sobre o enfrentamento de medos, como o medo de voar de avião e o medo de fazer exame de sangue. Compartilharemos também algumas dicas para perder o medo, que podem servir para qualquer tipo deles.

Medo de barata
Confesso a vocês qu…

A difícil tarefa de educar uma criança

Antes de eu ser mãe, as pessoas costumavam invalidar minhas opiniões sobre a educação de crianças - mesmo eu sendo pedagoga, ou seja, formada em Educação. Isso não valia para elas, pois teoria é teoria e prática é prática. Também não era válido o meu longo histórico de ótimo relacionamento com crianças, porque cuidar dos filhos dos outros não é educar. 

Pois bem, em parte elas tinham razão: "quem fala de sangue, e não está sangrando, é um impostor", já dizia Fernando Sabino. Em partes. Porque, agora que eu sou mãe, não só acredito nas mesmas coisas como também vejo-as reforçadas na prática. O que quer dizer que, mesmo não tendo passado pela experiência da maternidade anteriormente, as minhas vivências, a minha sensibilidade e o meu estudo tornaram-me apta para formar algumas ideias sobre o assunto. 
Se eu sei tudo sobre como educar uma criança? Se eu faço tudo certinho como mãe? Obviamente que não. Mas, como a maior parte das mães, eu tenho sempre a melhor das intenções. ;)

Encantos e perigos de um homem histérico

Eros quando solteiro foge diante de um possível relacionamento profundo. Mas gosta de manter uma mulher apaixonada sem assumi-la (pela necessidade da certeza de ser amado). Eros histérico continua freneticamente seu jogo de sedução, porém, finalizada a sedução ele não sabe mais o que fazer, ali entra em territórios desconhecidos. Evita um vínculo mais sólido porque seria deparar-se com a sua impotência diante de algo ou de uma situação e dessa forma fica evidenciado aquilo que poderia ter sido e não foi: o verdadeiro homem.
Toda mulher com uma relativa experiência afetiva é capaz de reconhecer perfis de homens com os quais se deve estar alerta. É quase como se uma luz piscasse com o texto: "Perigo! Mantenha distância".  Apesar disso, não raro envolvem-se com eles mesmo assim e saem chorando no final.
Dentre esses perfis evitáveis que simplesmente não conseguimos evitar, está o que a Senhorita Patinete chama de  Heros histérico. Hoje entenderemos melhor como funciona esse tal…