Dia das Crianças e a história de Lilinho

Eu e Amanda, setembro/2011

É dia das crianças e minha filha não está comigo: está viajando de férias com o pai.

Em princípio, penso que crianças de quatro anos de idade nunca deveriam ficar três semanas longe da mãe. No entanto, quando ouço a alegria na voz dela toda vez que nos falamos ao telefone, lembro-me da flecha que voa - tão brilhantemente posta em palavras por Gibran Khalil Gibran em "Dos Filhos" (leia ao final deste post).

E por falar em filhos, hoje me emocionei ao assistir A História de Lilinho, filme publicitário da Panvel que compartilho com vocês abaixo. Se você é mãe ou pai, assista. Se você é filha ou filho, assista.




"Fatalidades não são algo que crianças deveriam saber."
"Sempre que possível, interfere: nada precisa ser como é."




Dos Filhos

Gibran Khalil Gibran


E uma mulher que carregava o filho nos braços disse: “Fala-nos dos filhos.”
            E ele disse:

            Vossos filhos não são vossos filhos.
            São filhos e filhas da ânsia da vida por si mesma.
            Vêm através de vós, mas não de vós.
            E, embora vivam convosco, a vós não pertencem.
            Podeis outorgar-lhes vosso amor, mas não vossos pensamentos,
            Pois eles têm seus próprios pensamentos.
            Podeis abrigar seus corpos, mas não suas almas;
            Pois suas almas moram na mansão do amanhã, que vós não podeis visitar nem mesmo em sonho.
            Podeis esforçar-vos por ser como eles, mas não procureis faze-los como vós,
            Porque a vida não anda para trás e não se demora com os dias passados.
            Vós sois o arco dos quais vossos filhos, quais setas vivas, são arremessados.
            O Arqueiro mira o alvo na senda do infinito e vos estica com Sua força para que suas flechas se projetem, rápidas e para longe.
            Que vosso encurvamento na mão do Arqueiro seja vossa alegria:
            Pois assim como Ele ama a flecha que voa, ama também o arco, que permanece estável.




Se você gostou do poema, também poderá gostar de:
Pra início de conversa - A alegria e a tristeza 

Compartilhe este artigo

Artigos relacionados

Próximo
« Anterior

2 comentários

Write comentários
Anônimo
12 de outubro de 2011 00:28 delete

Muito lindo esse filme. Adorei e me emocionei.

Obrigado pela dica!

Reply
avatar
10 de dezembro de 2011 01:08 delete

No mês passado, o Juliano (o peixe beta da minha filha) morreu. As crianças fizeram um ritual de enterro num vaso de planta. Minha filha rezou.

Logo em seguida, fomos na loja e ela escolheu outro beta - Juliano também (rs).

E assim ela começa a aprender a lidar com as perdas da vida. Pena que, na maior parte delas, não dará para ir numa loja e repôr. Mas enquanto eu puder fazê-lo... "Sempre que possível, interfere: nada precisa ser como é."

Reply
avatar

Comentários dos leitores e leitoras são muito bem-vindos, pois enriquecem o blog com diferentes pontos de vista e relatos de experiências.
Mas estejam atentos às regras básicas de ética e boa convivência. Comentários em desacordo com elas ou que fujam ao tema do post poderão não ser aceitos. EmoticonEmoticon