Farofa de linhaça e gergelim

Receitinha gostosa e saudável preparada pela minha linda Mamy num domingo desses. Apreciem!

Ingredientes:
  • Cebola picada
  • Manteiga para fritar a cebola (ou azeite ou água, para quem evita lactose)
  • Gergelim descascado
  • Semente de linhaça dourada
  • Alho picadinho
  • Farinha de mandioca
  • Sal a gosto

Modo de preparo:
Fritar a cebola até ela começar a amolecer.
Acrescentar o gergelim e a semente de linhaça e continuar fritando, mexendo sempre. Deixar pipocar bastante para ficar bem torradinho.
Acrescentar o alho, sal a gosto e, finalmente, a farinha de mandioca.
Mexer até torrar a farinha.



Você também pode gostar de:

Pequena Érica

Uma menina de apenas 3 anos. 
Um carro velho incendiando com ela presa na cadeirinha no banco de trás. 

Foi assim que, em julho do ano passado, a menina Érica teve 23% de seu corpo queimado, especialmente cabeça, rosto, mãos e pés. Vejam o vídeo abaixo e entendam porque eu, comovida, resolvi ajudar.





Érica mora aqui no entorno de Brasília e sua história chegou até mim por meio de uma colega de trabalho, que é uma das voluntárias empenhadas em arrecadar fundos para pagar as cirurgias reparadoras as quais a menina precisa ser submetida - e que não são pagas pelo Estado.

No total, o tratamento custará aproximadamente R$ 80 mil, o que é inviável para a filha de um auxiliar de pedreiro e uma catadora de lixo. Se por um lado é muito dinheiro, por outro é pouco perto do que as cirurgias de reconstituição representarão na vida dessa criança.

Por isso, fica meu convite: visite o blog Pequena Érica, conheça essa história e veja várias formas como você pode ajudar.




"O que eu faço, é uma gota no meio de um oceano. Mas sem ela, o oceano será menor." Madre Teresa de Calcutá

Como ser a mulher que os homens querem

As revistas femininas [que às vezes me questiono se são feitas para ajudar ou para detonar as mulheres] são repletas de fórmulas para conquistar e segurar o amor. Quem procura realmente fazer essas coisas, não pode perder a criticidade ao ler sobre o assunto, sob o risco de conseguir o contrário. Neste post, falaremos sobre as falácias presentes nesse tipo de matéria e sobre o que você deve estar atenta quando busca ser a mulher que os homens querem
Esses dias, na fila do caixa do supermercado, li a seguinte chamada para uma matéria:
Descubra como o signo do seu gostosão pode ajudar você a ser a mulher da vida dele.
Não tive coragem de ler a matéria (impossível comprar tal revista, mesmo com fins de pesquisa), mas imagino do que se trate: por meio das características de cada signo, você descobre os gostos do "gostosão" (aff!) e passa a agir de modo a agradá-lo.

Estão querendo enganar a quem? Em primeiro lugar, ao gostosão, é claro. E depois, às desesperadas mulheres que estão atrás de conquistar ou segurar alguém, fazendo-as acreditar que desta forma serão bem sucedidas.


Derrubando premissas

1. Os astros podem nos dizer algo?
Confesso que eu até acredito em astrologia, mas ela é uma "ciência" complexa (reparem nas aspas). Pelo pouco que entendo, saber que a pessoa tem tal signo não significa muita coisa, pois as características dependerão de uma conjunção de fatores que são "decifrados" pelo mapa astral (como o ascendente e a Lua). Então vir me dizer que se o "fulano gostosão" é de tal signo, gostará disso ou daquilo... me poupe, né?

2. Ser quem não é. Agir diferente do que agiria.
Suponhamos que realmente pudéssemos confiar nos dados apresentados e que a revista trouxesse o mapa da mina. Teríamos nas mãos uma resposta para o desejo de Cazuza em Quase um segundo:

Eu queria ver no escuro do mundo
onde está o que você quer
Pra me transformar no que te agrada
no que me faça ver
quais são as cores e as coisas
pra te prender...




Não, meninas, não!!! Já falei muito sobre os perigos de se abrir mão de sua individualidade no post Cuidado com o que você deseja: as mulheres e Edward Cullen, no qual compartilhei uma história pessoal. Se ainda não leu, leia!

Nenhuma relação será bem sucedida se construída com artificialidade. Alguém sempre sairá perdendo, e esteja certa de que esse alguém muito possivelmente será você.

Um olhar atento e sensível ao outro é fundamental nas relações. Ceder, de ambos os lados, também. Mudanças? Sim, possivelmente elas ocorrerão, pois mudamos nas relações com os outros (não só amorosas). Mas buscar ser alguém que você não é para agradar o outro? ISSO NÃO DARÁ CERTO. E pode custar muito caro no final.

Portanto, minha amiga, fuja de fórmulas prontas. Se quiser, até ouça os astros, mas nunca esqueça de ouvir antes o seu amor próprio. Se ele não for considerado, nenhum outro amor se sustentará. Ao menos, não de forma saudável.

Leia também:



A coragem de fazer escolhas

"Crescer é ter de fazer escolhas, sendo que nenhuma das duas coisas a escolher deixará você plenamente feliz”. Ouvi esta frase certa vez num filme da sessão da tarde, e ela fez tanto sentido que ficou gravada.

É assim que as pessoas escolhem, por exemplo, permanecerem casadas ou se separarem. Na verdade, ganha-se e perde-se com qualquer uma das escolhas. Portanto, a melhor forma de decidir é colocando ganhos e perdas na balança para verificar para que lado ela pende (minha mãe me ensinou isso).

Separação
Teatro para Alguém - Flickr CC

O problema é quando as pessoas nem percebem que estão fazendo escolhas. Levam a vida num pretenso determinismo, como se não houvesse alternativa, como se sua influência no rumo das coisas fosse reduzida. E não é. 

A questão é que fazer escolhas implica em ter coragem. E isso nem sempre as pessoas têm (ou querem ter). Para falar sobre coragem, volto à filosofia dos filmes, desta vez ao longa Ilha da Imaginação, que minha filha assistia hoje mais cedo:

Coragem é uma coisa que a gente tem que estar sempre aprendendo e reaprendendo a vida toda. Ela não está em você, está em cada escolha que você faz, a cada dia.

Profundo e verdadeiro, não?

Pra ser feliz, é preciso muita coragem. E, como muitos de vocês sabem, esta foi a minha escolha. Na prática, para concretizá-la, tomo decisões que fazem com que as pessoas me achem corajosa (às vezes, meio louca). Mas, na verdade, eu não sou (nem uma coisa nem outra) – como diz a citação acima, a coragem não está em mim, mas eu a busco em cada passo.

Se eu precisasse escolher hoje apenas uma coisa que eu gostaria que minha filha tomasse como exemplo na mãe seria esta: coragem de ser feliz. Sabendo que será preciso quebrar alguns ovos e encarando isso de cabeça erguida.

Como diz uma frase que eu adorava repetir quando criança: “a coragem é o cúmulo do medo”. Pode ser. No meu caso, é possível que seja o cúmulo do medo de levar uma vida medíocre, sem cor e sem luz.


vida_plena
vana_gwen - Flickr CC


O amor é a vida acontecendo no momento:
sem passado, sem futuro, presente puro,
eternidade numa bolha de sabão...
Ruben Alves


Você também pode gostar de: