domingo, 1 de maio de 2011

Mensagem para mães de verdade

Postado por Ana Flor | Twitter: @AnimandoC

A proximidade do Dia das Mães me inspira. Desta vez, não escreverei para minha mãe, pois ela recebeu o post Coração em seu aniversário na semana passada. Corrigindo: não escreverei apenas para a minha mãe; escreverei para todas elas. Corrigindo novamente: escreverei sobre nós e nossos filhos.

Eu e minha filha Amanda, em agosto de 2008

Não perderei tempo tentando traduzir ou ajustar o amor materno em palavras. Não dá mesmo. Uma canção, talvez, consiga aproximar-se mais.

Imagino que eu não seja a única a debulhar-me em lágrimas ao ouvir Slipping Through My Fingers no musical Mamma Mia.

Pra quem ainda não assistiu, a cena mostra a mãe (Donna) ajudando sua filha Sophie a arrumar-se para seu casamento. A letra, cuja tradução você lê abaixo, traz tantos sentimentos em suas linhas e entrelinhas, que falaria por si só. Mas, humildemente, ela deixa que a linda melodia fale junto com ela.






Escorregando Pelos Meus Dedos

Donna:
Com a mochila na mão
ela sai de casa de manhã cedo
dando adeus com um sorriso distraído
Eu a vejo ir
com uma onda de tristeza bem conhecida
e eu tenho de me sentar um pouco
A sensação de que estou a perdendo pra sempre
e sem realmente entrar em seu mundo
Fico feliz quando posso compartilhar da sua risada
que divertida menininha

Escorregando através dos meus dedos o tempo todo
Tento capturar cada minuto
o sentimento nele contido
escorregando através dos meus dedos o tempo todo
Será que eu realmente vejo o que está em seu pensamento?
Cada vez que acho que estou perto de saber
ela continua a crescer
Escorregando através dos meus dedos o tempo todo

Sono em nossos olhos
ela e eu na mesa do café
meio acordadas
Eu deixo o tempo precioso passar
Então, quando ela foi embora
Há o estranho sentimento melancólico
e um sentimento de culpa
não posso negar
O que aconteceu com as maravilhosas aventuras
Os lugares que eu tinha planejado para irmos
Bem que algumas delas nós fizemos
Mas a maioria não
E o porque eu não sei

Escorregando através dos meus dedos o tempo todo
Tento capturar cada minuto
o sentimento nele contido
escorregando através dos meus dedos o tempo todo
Será que eu realmente vejo o que está em seu pensamento?
Cada vez que acho que estou perto de saber
ela continua a crescer
Escorregando através dos meus dedos o tempo todo


Donna & Sophie:
Às vezes eu queria poder congelar a imagem
E salvá-la dos truques engraçados do tempo
Escorregando através dos meus dedos

Donna:
Com a mochila na mão
ela sai de casa de manhã cedo
dando adeus com um sorriso distraído


Slipping Through My Fingers
Mamma Mia
Composição : Benny Andersson and Bjorn Ulvaeus




O tempo correndo, a rotina nos engolindo, minha filha crescendo. E é nas pequenas coisas, como na mesa do café-da-manhã, que tenho essa vontade de congelar a cena. Certamente cheguei atrasada ao trabalho algumas vezes por causa disso. Como também ocorre quando já estou entrando no carro e ela grita lá de cima da varanda: "Mamãe, você é linda, eu te amo, não se esquece disso". O tempo para nessa hora. Bom, ao menos o nosso tempo para.

Aquela sensação cantada por Donna de estar perdendo-a é uma sensação tão minha! O medo, a culpa. Se por um lado fica a sensação de que não consigo aproveitar tudo o que gostaria, por outro, penso nos planos e, ao contrário da canção, vejo como fui competente em concretizá-los desde a gravidez: cada detalhe.

A vontade de congelar imagens/momentos/sentimentos talvez explique o meu investimento nos registros: o diário e book da gravidez, os dois livros do bebê repletos de lembranças escritas e coladas, o blog Amada Amanda que registra desde os primeiros dias de vida até hoje (privado para a família), os seis álbuns de fotos em apenas três anos de vida, fora os tantos Gb em fotos e imagens no computador. Eu me dizia exagerada, mas me corrigiram: sou intensa.

Mães intensas escrevem posts como este com lágrimas nos olhos. E, ao mesmo tempo que querem que os filhos cresçam fortes e saudáveis, também querem que eles não cresçam nunca, como nos cantam tão docemente Vinícius e Toquinho.





Valsa para uma menininha
Vinicius de Moraes / Toquinho

Menininha do meu coração
Eu só quero você
A três palmos do chão
Menininha, não cresça mais não
Fique pequenininha na minha canção
Senhorinha levada
Batendo palminha
Fingindo assustada
Do bicho-papão

Menininha, que graça é você
Uma coisinha assim
Começando a viver
Fique assim, meu amor
Sem crescer
Porque o mundo é ruim, é ruim
E você vai sofrer de repente
Uma desilusão
Porque a vida é somente
Teu bicho-papão

Fique assim, fique assim
Sempre assim
E se lembre de mim
Pelas coisas que eu dei
E também não se esqueça de mim
Quando você souber enfim
De tudo o que eu amei


Cresça, minha menina, cresça. E que Deus permita que eu possa continuar acompanhando-a enquanto cresce, minha criança cristal.

4 comentários :

  1. Ai, a maternidade dói... de tanto amor no coração!

    ResponderExcluir
  2. Ana
    Existem emoções que não podem ser descritas, apenas vividas. E quando a gente tenta descreve-las fica meio boba, pois nós sentimos cada palavra revivendo os minutos, que são tão preciosos na nossa vida, outra vez. O que vc sente todas nós, mães de verdade, sentimos intensamente. E essa dor precipitada do grande momento dilacerante da "despedida", também. Já imaginei, inúmeras vezes, o momento do segundo "parto", mas, dessa vez, com sentido de partida mesmo. Será que meus filhos vão querer morar no exterior? Sera que vao se casar e morar em outro estado, cidade... longe demais que eu não os possa ter com tanta facilidade? Não sei, pois esse destino apenas a Deus e a eles pertence. Ja ouvi dizer que, qdo se casam e tem seus próprios filhos, acabam voltando pra nós, numa segunda etapa de convivencia, mais prazerosa ainda, na partilha das experiencias que já vivemos. Tenho meus filhos grandes ja (20 e 16 anos), é uma fase diferente, e posso garantir que, comigo pelo menos, mais conflituosa, difícil, pois exige demais da nossa presença, da nossa paciencia... bem diferente da que vivemos qdo nossos filhos são pequenos anjos. Mas, pra quem assumiu esse compromisso único e divino, compreende as etapas, sim... as etapas de formação, de educação... Me inspiro na natureza, pois ela também, como as mães, é muito sábia... Os animais sabem o momento de separar-se dos filhos e deixá-los viverem, como uma obra concluída. Espero, qdo chegar a minha hora, ter forças para seguir o fluxo normal da vida. Estando sempre ao lado, pois, como se diz "mãe é mãe" e sempre será.
    Bjs com carinho, pra vc, mãe em construção, assim como eu e como todas nós! Que cada dia das mães seja único, e recheado de novas conquistas, e que sua filha espelhe seu exemplo no exemplo de pessoa solidária que vc é. Tenho certeza de que Deus, na sua infinita bondade, lhe dará muitos anos de vida, pra que vc possa admiriar a sua obra concluída.

    Silvia

    ResponderExcluir
  3. Olá Ana,

    Nunca tentei entender o coração de mãe, porque é uma tarefa que nunca estará ao meu alcance, somente sei que estas mulheres maravilhosas encheram minha vida de luz, seja me gerando ou dando a oportunidade de ser pai...

    Então que sejam benditas estas pessoas cheias de luz que geram a vida.

    Abraço

    ResponderExcluir
  4. Ana, amei o post. Há tempos não lia algo tão passional e que demonstrasse um amor incondicional pelos filhos. Mais do que isso, seu texto mostra o amor pelo ser humano, coisa que muitos por aí dizem que têm, bradam aos quatro ventos que são amigos, parceiros, amantes, mas no fundo, querem mesmo é aproveitar-se da situação favorável para posar de coitadinhos. Muitos filhos são assim.
    Isso, porém, não se vê em seu texto. É uma tremenda demonstração de amor por sua mãe e só poderia surgir mesmo de uma mãe tão dedicada como você é. Seu exemplo na educação da Amanda deveria ser seguido por muitas pessoas, principalmente por aquelas que já não sabem o que fazer com os próprios filhos.
    Mais um post que favorito e indico para meus amigos, inclusive os que não possuem computador em casa.

    ResponderExcluir

Comentários dos leitores e leitoras são muito bem-vindos, pois enriquecem o blog com diferentes pontos de vista e relatos de experiências.
Mas estejam atentos às regras básicas de ética e boa convivência. Comentários em desacordo com elas ou que fujam ao tema do post poderão não ser aceitos.