Pular para o conteúdo principal

Medo de barata - transtorno sexual ou alergia?

Ver uma pessoa gritando diante de um inseto de cinco centímetros que não morde nem ataca seres humanos pode parecer irracional. O que muitos não sabem é que existem teorias que explicam o medo de barata, que acomete principalmente mulheres (mas também alguns homens).

Creative Commons - Wikipedia

O medo

De modo geral, ter medo é natural e até uma questão de sobrevivência. Por exemplo, o medo que nos leva a dirigir com as janelas do carro fechadas e a estarmos atentos à nossa volta ao pararmos na sinaleira pode evitar que sejamos pegos desprevenidos por um assaltante. No entanto, alguns medos podem prejudicar-nos em muitos aspectos de nossas vidas, como aqueles que se transformam em fobias.

emidiobatista - Flickr CC

Este post sobre o medo de barata é o primeiro de uma série de três. Na sequência dele, falaremos ainda sobre o enfrentamento de medos, como o medo de voar de avião e o medo de fazer exame de sangue. Compartilharemos também algumas dicas para perder o medo, que podem servir para qualquer tipo deles.


Medo de barata


Confesso a vocês que entro em pânico quando vejo uma barata. As pessoas costumam não gostar delas, afinal, é mesmo um inseto super-nojentíssimo que pode causar doenças. Alguns, no entanto, possuem um medo irracional e incontrolável de baratas - eu, por exemplo. As duas vezes na vida que precisei encarar uma baratona - porque se não a matasse teria de dormir fora de casa pra sempre, pois nunca saberia se ela ainda estaria lá - fiz, literalmente, xixi na calça.

Já ouvi falar que Freud associa o medo de barata a transtornos sexuais. [Jura? E o que o tarado do Freud não relacionava com sexo?] Lembrando quando Chico Xavier foi questionado se tinha problemas na área sexual e ele respondeu: "tanto tenho que estou encarnado neste planeta". Ou seja, sendo humana, também devo ter algum problema relacionado à sexo, mas daí a chamar de transtorno seria demais, né?

Também já li sobre a teoria de que quem tem medo de barata na verdade tem alergia a elas. Veja o trecho abaixo, extraído do Blog da Alergia:

O estudo destes insetos [baratas] tem se intensificado nos últimos anos, sendo descritos alguns fatores que seriam os provocadores da alergia, como por exemplo, proteases presentes em seu tubo digestivo, que exerceriam papel importante no aparecimento das doenças alérgicas. Um dado interessante é que foi descrita também a presença de uma proteína, chamada de tropomiosina, que também pode ser encontrada em ácaros e no camarão. Por isso, pode ocorrer uma reatividade cruzada entre ácaros, baratas e camarão. Fonte: Blog da Alergia.

Adivinhem o que mostram meus exames de sangue? Alergia a ácaros, camarão e, claro, baratas (args!).

Outra teoria conhecida é a de que mulheres que têm medo de barata herdaram esse medo de suas mães. Afinal, desde pequenas observaram as mamães - aquelas super-mulheres - tendo reações exageradas quando deparadas com uma baratinha. Imagine o pensamento infantil nessa hora: "Apesar de pequeno, deve ser um bicho muito perigoso, né?" [Sim, minha mãe tem pavor de baratas voadoras.]


Enfrentar o medo


Posso até parecer meio ridícula quando uma barata vem em minha direção [já repararam que elas perseguem quem tem medo?], mas esse medo não prejudica minha vida. Se eu morasse num lugar onde elas aparecessem com frequência, talvez se tornasse um problema. Mas não é o caso. É o tipo de medo com o qual posso conviver muito bem.

No entanto, existem medos que podem atrapalhar nossa vida e devem ser tratados. No próximo post falaremos sobre tratamento e dicas para enfrentar qualquer tipo de medo. Até lá!

Leia a sequência aqui: Medos: como enfrentá-los

Comentários

  1. Quando li seu post lembrei-me na hora de uma citação do Ayrton Senna:

    "O medo faz parte da vida da gente. Algumas pessoas não sabem como enfrentá-lo, outras - acho que estou entre elas - aprendem a conviver com ele e o encaram não como uma coisa negativa, mas como um sentimento de autopreservação."

    É realmente difícil conviver com nossos medos, mas urge que aprendamos isso. Concordo contigo que o medo aprisiona, pois sempre pensamos que na próxima esquina vamos topar com aquilo que nos aflige. Nessa situação, ou você aperta aquele famoso botão e deixa a coisa "feder" ou então continua refém disso tudo.
    Já espero o próximo post.

    ResponderExcluir
  2. Olá Ana,

    Confesso que acho que não sou normal, tenho "prazer" em perseguir baratas e matar-las. Vale de tudo : sapato, chinelo e outras técnicas..

    Aliás aqui em casa ninguém tem medo de barata.

    Abraço

    ResponderExcluir
  3. Oi, Flor

    Não entendo muito bem que tanto medo alguém pode ter de baratas. No máximo, elas são muito nojentas (vivas ou mortas). Porém, gostei da proposta dessa série. Vou esperar para ler sobre os tratamentos e dicas.

    Bjs

    ResponderExcluir
  4. eu tenho pavor. talvez por uma delas ter subido no meu braço quando tinha 10 anos (fui mexer num balde). naquela noite não durmi nada. sonhei que ela estava embaixo do travesseiro, das cobertas, enfim, verificava toda hora. lembro perfeitamente da sensação daquele bicho marrom cheio de pernas e levinho como papel subindo no meu braço. e olha que eu tenho 34 anos hoje. ou seja, lá se vão 24 anos e o pavor continua. PAVOR! quando elas voam então.... só de pensar nela voando no meu cabelo ou no meu rosto, eu quase desmaio, choro. um vexame só! rs

    ResponderExcluir
  5. Oi querida.
    Já cheguei a procurar um médico para resolver esse meu problema de medo... se fosse só o medo estava bom, eu desmaio quando uma barata chega mto perto (mto perto digo 1 a 2 metros) Já desmaiei mt e quando não desmaio fico tensa o resto do dia ou da noite com dor no estômago ou cabeça, só penso na barata em que vi e se não matar não durmo e se durmo é completamente coberta dos pés a cabeça mesmo assim é difícil... enfim tenho um pavor inexplicável.
    Beijo

    ResponderExcluir
  6. Isso não é nada! Quando eu dirigia uma escola aqui no Rio, uma professora fixou os olhos atrás da minha mesa e disse: "Uma bara..." Nem precisou terminar a palavra. Saí correndo que nem um louco,atropelando crianças, grávidas, idosas, enfim,todo mundo que estava na porta da secretaria da escola. E ainda derrubei a cafeteira com seu conteúdo na papelada toda. Poderia mesmo ter causado um grave acidente por causa deste pequeno demônio, que na verdade é inofensivo. Com isso, agora sempre tento manter a calma diante da visão do referido inseto. Afinal ninguém deve morrer ou matar por causa de medo. Isso é burrice das grandes. Agora, barata é phoda mesmo... Aff, ninguém merece!

    ResponderExcluir
  7. Oi, sou homem de 34 anos, me mande subir a favela com uma faca, dar tapas na cara de leão, pegar uma cobra venenosa com as mãos e brigar com qualquer um, mas não me coloque em uma sala com uma barata. rsrs

    ResponderExcluir
  8. tb sou homem e tenho 33. minha fobia de baratas é extrema, ao ponto de eu entrar em estado de choque se acontecer de alguma me tocar. não sei pq tenho isso, mas um dia pretendo tratar, para não me colocar, ou os outros em situação de risco.

    ResponderExcluir
  9. Merda de texto.
    Que autoridade você é no assunto para desacreditar Freud?!
    vou te dizer, vê se melhora essa argumentação!
    BLASFÊMIAS!

    ResponderExcluir
  10. Eu não costumo aprovar comentários contendo palavras de baixo calão, mas seria muito egoísmo privar meus leitores de verem um exemplo do que o transtorno sexual faz com as pessoas. Freud explica.

    Caro Anônimo, eu devia melhorar minha argumentação tipo... com você? Que beleza de argumento o seu, né? Parabéns! Nem interpretar um texto sabe, porque eu momento algum desacredito Freud. Apenas faço uma brincadeira dizendo que ele é tarado, porque tudo ele relaciona a sexo. Alguma incorreção nisso?

    E "autoridade" é um conceito tão geração X/baby boomer... denuncia sua idade. Não discorrerei sobre conhecimento e poder na Sociedade da Informação porque... ah, tenho mais o que fazer! E você provavelmente não entenderia mesmo.

    ResponderExcluir
  11. Queridas leitoras,
    Queridos leitores,

    Obrigada por comentarem e compartilharem conosco sua experiência com esses "monstrinhos terríveis". Fiquei impressionada com os relatos de vocês. Alguns casos realmente necessitam de tratamento, porque devem influenciar (e muito) na qualidade de vida. Se quiserem, leiam os dois posts que dão continuidade a este, nos quais falo sobre a superação de medos.

    Sejam sempre bem-vindos e bem-vindas!

    ResponderExcluir
  12. Olá Ana,

    Que resposta perfeita.. este "anonimo" é tão divertido como "suposta víuva de Freud"..

    Eu ri!!

    Abraço

    ResponderExcluir
  13. Minha amiga me enviou esse link, e achei interessante. Não entendo por que todos meus amigos quando vêem uma reportagem ou qualquer coisa sobre baratas me enviam! kkkkkk
    Vou olhar o poste da superação agora. É terrível ter "BARAFOBIA" ! haha
    beeijos

    ResponderExcluir
  14. Eu também faço essa mesma brincadeira sobre Freud Tarado.
    E nesse ponto fica um terrível conflito de conceitos.
    1)Já me deparei com todo tipo de insetos e bichos, incluindo acordar com eles em cima de mim como baratas, lacraias e abelhas. Confrontei ratos, cachorros e etc. Tudo isso sem traumas ou medos.
    Mas tem um bicho o qual tenho pavor, as vezes me impede de sair de casa. Falando sério, eu tenho medo de seres humanos (inclusive já tive experiencia de surto panico com um grupo de crianças).
    Explica isso o Super Freud!!!

    ResponderExcluir
  15. Minha mãe me falou que quando eu era bebe, peguei uma barata no chão e quase coloquei na boca (Eca! Que nojo!). Será por isto, que tenho medo de baratas? Certa noite chovia muito, chuva de ventos fortes... a luz da sala acesa e eu assistia a tv. De repente: Uma barata voadora. =( Peguei o baygon e ela veio voado em minha direção. Larguei tudo e corri. =/ Pensei: Pronto! Agora não durmo! Fui buscar uma vassoura e fiquei no ataque: O baygon em uma mão e a vassoura na outra. Rs* Cômico! (Se tivesse filmado, com certeza ganharia na pegadinha do Faustão) hehehe. Triste realidade! =( Para finalizar o drama, nesse meio tempo em que fui pegar a vassoura, a danada foi para o primeiro quarto. Quem foi que disse que fui para este quarto? Sou nem doida! Rsrsrsrs.
    Conclusão: Apaguei a luz da sala e desliguei a tv, fui para meu quarto... coloquei um pano embaixo da porta, fechei a porta. Até hoje não encontrei esta bendita barata. Fiquei indignada, pois preferiria ter encontrado. Acho que aparecerão outras. =/
    Contei para a minha mãe e ela não acreditou. Disse: - Como pode uma barata chegar no 19° andar? E riu!
    Pois é, essa chegou, e toda doida (voando pra lá e pra cá). Acho que com a força do vento, ela passou por baixo da porta de entrada.


    P.S.

    1 - Barata morde!!
    2 - Barata ataca, e vem sim em nossa direção!!
    3 - Freud era maluquinho! Rs*


    Bom fim de semana! =)

    ResponderExcluir
  16. nossa eu to com um problema muito sério, tenho pavor, horror, muito mais muito medo de baratas e quanto mais tenho medo delas mais elas aparecem pra mim, e eu trabalho como recepcionista e atras da recepção tem um quartinho com varios papeis e então o meu encarregado pediu pra mim limpar esse quartinho e eu disse que não porque lá tem muitas, mais muitas baratas mesmo, como faço?? isso está me prejudicando em todas as partes de minha vida, em casa é a mesma coisa se eu vejo uma saiu correndo, e se ninguem mata eu não entro dentro de casa, sei que muitos deve achar que é frecura, mais não é eu tenho muito medo mesmo!!!

    ResponderExcluir
  17. Tenho pavor total! Não chego perto, não mato, não me aproximo nem mesmo de barata já morta.Na maioria das vezes eu desmaio. Já fui até procurar ajuda profissional para resolver isso, mas não adiantou. Minha família já acostumou: quando aparece uma barata em casa meus irmãos já correm: um para matar o bicho e outro corre para me segurar desmaiando. É um vexame atrás do outro e eu queria muito que tivesse uma solução.

    ResponderExcluir
  18. Minha noiva tem essa fobia. Se vê barata fica paralisada e quase sempre perde os sentidos. Ela frequentou psicólogo um tempão, mas não resolveu nada. Como a gente mora em regiao praiana, tem muita barata, então é sempre um problemão, porque as vezes eu nem vi a barata e simplesmente vejo ela caindo desmaiada sem qualquer aviso,aí qdo vou ver tá lá o pobre inseto andando num canto qualquer. Se alguém descobrir uma forma de cura para essa fobia, por favor posta aqui pois vai ser muito útil.

    ResponderExcluir
  19. Eu estudo longe de casa, e depois das férias, quando volto pra minha acasa 'abandonada', ela está cheia de baratas, não tem jeito. Da última vez liguei chorando pra minha mãe, com nojo delas, ela teve que passar horas me acalmando =S

    ResponderExcluir
  20. Eu também gostaria de encontrar a cura para esta fobia pois sempre foi um grande problema na minha vida. Basta ver uma barata e eu desmaio na hora. Eu nem mesmo consigo apoio em casa, pois minha família acha que meus desmaios são "frescura", já ouvi isso muitas vezes.Todo ano, quando chega o verão já começo a ficar apavorada, pois nessa época sempre aparecem muitas baratas e eu já sei que vou pagar muito mico pelo duplo constrangimento: desmaiar ao ver baratas e, ao acordar, ter que explicar para quem não esteja acostumado, qual foi o motivo do desmaio... Morro de vergonha!

    ResponderExcluir
  21. Eu, definitivamente, não sei definir o que eu sinto com relação a esse inseto. Só de ver a foto dele nesse post soltei um grito, como se ele tivesse saltaddo da tela. Eu fiz questão de ler todos os comentários, pois eu precisava saber se eu era a única a passar por isso. Eu mudei de casa e de cidade e aqui tem muita, muita barata mesmo. Eu sempre tive pavor, mas agora não consigo mensurar esse medo, pois agora eu as vejo com frequência. Outro dia estava com meu namorado na varanda comendo um lanche e uma veio em nossa direção, mas ela veio com tamanha fúria que se tivesse braços, com certeza teria tirado o lanche de minhas mãos. Meu namorado diz que eu preciso superar isso, mas infelizmente não sei qual é o caminho. Ah, nos cometários anteriores percebi que algumas pessoas tem medo, mas conseguem matá-las. Eu nem isso, parece que meu chinelo se torna menor que uma formiga diante delas. Valeu...

    ResponderExcluir
  22. Eu n tenho medo de baratas e ate mato algumas vezes, o problema eh que tenho nojo, inclusive elas ja ate viera a subir nas minhas coisas da escrivaninha e eu fui limpar no papel higienico molhado c sabonete, rsrs. N sei se to sendo exagerado ou oque, mas odeio qnd elas sobem nas coisas, oq vcs acham que se deve fazer nessas situaçoes?

    ResponderExcluir
  23. Gostei do post. Tenho 22 anos e sou homem. Pego naquelas lagartixas de parede sem problemas e solto-as, mas quando o assunto é barata ai o negócio fica sério. Antes eu pensava que tinha fobia a elas mas percebi que não chega a ser fobia pois não tenho medo das pequeninas somente das grandes. Não é exatamente nojo que eu tenho e sim medo, fico todo frio e não descanso enquanto não ver o corpo dela.

    ResponderExcluir
  24. Lido tranquilamente com qualquer tipo de animal ou inseto, exceto as malditas baratas. Tenho um pavor fora de proporção. Ver uma barata se aproximando de mim é suficiente para perder os sentidos na hora. Meu marido fica furioso comigo, diz que é exagero, frescura, ele não entende que eu simplesmente não consigo controlar isso. Não importa o tamanho da barata, basta que cheguem perto, perco as forças e desmaio sem qualquer aviso prévio. É horrivel isso, até porque, moro numa região muito quente, então, é muito comum aparecerem baratas, o que torna meus vexames ainda mais frequentes. Eu adoraria conhecer algum tratamento que resolvesse isso de vez.

    ResponderExcluir
  25. Pesquisando sobre minha fobia e possíveis tratatamentos, acabei encontrando essa postagem e, confesso, fiquei um pouco menos traumatizada ao ver que não sou a única que passa mal diante deste insetinho tão insignificante. É algo totalmente sem lógica, eu sei, mas não consigo evitar, basta ver uma barata se aproximando e entro em choque. Na maioria das vezes desmaio mesmo. Por mais que eu saiba que a barata não pode me fazer mal algum, que basta pisar nela e tudo estará acabado, não adianta, é só uma delas aparecer e minhas pernas já amolecem na hora, fico tonta e apago. Meu maior pânico é estar sozinha quando isso acontece, fico imaginando que ao desmaiar a barata irá subir em mim, isso me apavora mais ainda. É insano, e já tentei me livrar dessa fobia de várias formas. Se alguém aqui conseguiu, ou pelo menos conhece algum tipo de tratamento, por favor, poste isso, serei eternamente agradecida.

    ResponderExcluir
  26. Vi nos comentários que muita gente tem o mesmo pânico que eu, mas, infelizmente, ninguém relatou um caso de sucesso na superação disso. Eu adoraria ler um relato de alguém que tenha conseguido se livrar dessa fobia, pois sofro demais com ela desde sempre.
    Por mais que fique me achando ridícula por ter tanto pavor, é algo que simplesmente não consigo controlar. Ao ver uma barata tento reagir racionalmente, mas não consigo, fico paralisada e às vezes chego a perder os sentidos.
    Estou disposta a fazer qualquer coisa para me livrar desse medo, mas simplesmente não sei por onde começar.
    Alguém conhece um caso de superação? Se conhecerem, por favor, relatem!

    ResponderExcluir
  27. Tenho alergia ao sol há 5 anos e nos meus exames alérgicos dão ácaros, camarão e b... isso começou desde que fui morar com meu marido na casa que a mãe dele deixou, também tive contato com um produto (veneno) que me ensinaram chamado barragem, coloco nos cantos da casa e elas aparecem mortas viradas pra cima. Desde então, não tenho mais vida social durante o dia, vivo correndo do sol, eu era morena de tanto ir a praia e clube, hoje estou com a pele amarelada. Me sinto frustrada e triste por não poder ter aquele bronze no verão, mas fazer o quê? tive que me adaptar a situação. Já pensei várias vezes em ir embora da casa, mas acho que isso não tem a ver. No fundo acredito que sejam traumas de infância mesmo, pois minha irmã mais nova vivia colocando medo e até já jogou uma morta em mim que quase pegou em minha boca. Já dei um escândalo no ponto de ônibus uns anos atrás quando uma entrou na minha calça, quase fico nua. Não sei, só de falar fico toda me coçando. Se me fizesse uma proposta de UM MILHÃO para ficar no quarto com apenas uma eu recusaria na mesma hora. DEUS é maior sobre todas as coisa eu tenho certeza que ele vai tirar essa alergia de meu corpo EM NOME de JESUS! Amém.

    ResponderExcluir
  28. Quando era pequena eu tinha prazer em matar baratas, agora nao posso dizer o mesmo. Cheguei ate um dia a dormir na sala tudo isso porque uma barata grande, assustadora e voadora se hospedou no meu quarto, até que eu tentei fazer alguma coisa mas em vão. Horror total

    ResponderExcluir
  29. Crueldade a imagem do início gente! :( é o mesmo q pôr a mão num fio elétrico desencapado. Dia desses eu tava arrumando umas roupas em cima da cama e qdo olhei lá vinha um monstro-maldito-vindo-das-profundezas-do-inferno-cujo-nome-não-escrevo-ou-ponuncio, enorme, andando NA MINHA CAMA! Saí como uma bala correndo quase arrancando a porta do quarto e quebrando um dedo. Quase infartada fui parar do lado de fora de casa mais arrepiada q gato qdo vê cachorro na rua. Não quero tratamento! Não quero enfrentá-las! Não quero passar a ver q elas, olha o absurdo, são inofensivas... (??!!) Eu só queria viver num espaço onde elas não existissem. Só isso.

    ResponderExcluir
  30. Kkkkk. Esse último comentário foi hilário! Apesar de ter medo de barata tbm.

    ResponderExcluir
  31. Fico em pânico com baratas dentro de casa,ainda mais se for voadora,kkk mas engraçado que se vejo uma na rua não sinto nada de anormal,só dentro de casa mesmo.Mas eu tb fico igual um caçador com chinelo e vassoura na mão,não sossego até matar,mesmo correndo dela as vezes,kkkk o pior é quando a desgraçada se esconde e eu tenho que tirar tudo do lugar pra achar ela,senão não durmo,uma vez arrastei o guarda-roupas lá pela 1:00 da manhã kk

    ResponderExcluir
  32. tenho mais nojo de nós seres humanos que de baratas, ratos, etc.. Não vemos baratas produzindo ogivas nucleares e nem ratos utilizando armas '-'

    ResponderExcluir
  33. Tenho 60 anos. Pela primeira vez, matei uma,hoje. Foi quase um suicídio...mas consegui. Meu filho teve que vir a minha casa para retirá-la. Ah, não consigo falar sobre os detalhes, agora.
    Mas me senti vitoriosa...

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Comentários dos leitores e leitoras são muito bem-vindos, pois enriquecem o blog com diferentes pontos de vista e relatos de experiências.
Mas estejam atentos às regras básicas de ética e boa convivência. Comentários em desacordo com elas ou que fujam ao tema do post poderão não ser aceitos.

Postagens mais visitadas deste blog

A difícil tarefa de educar uma criança

Antes de eu ser mãe, as pessoas costumavam invalidar minhas opiniões sobre a educação de crianças - mesmo eu sendo pedagoga, ou seja, formada em Educação. Isso não valia para elas, pois teoria é teoria e prática é prática. Também não era válido o meu longo histórico de ótimo relacionamento com crianças, porque cuidar dos filhos dos outros não é educar. 

Pois bem, em parte elas tinham razão: "quem fala de sangue, e não está sangrando, é um impostor", já dizia Fernando Sabino. Em partes. Porque, agora que eu sou mãe, não só acredito nas mesmas coisas como também vejo-as reforçadas na prática. O que quer dizer que, mesmo não tendo passado pela experiência da maternidade anteriormente, as minhas vivências, a minha sensibilidade e o meu estudo tornaram-me apta para formar algumas ideias sobre o assunto. 
Se eu sei tudo sobre como educar uma criança? Se eu faço tudo certinho como mãe? Obviamente que não. Mas, como a maior parte das mães, eu tenho sempre a melhor das intenções. ;)

Encantos e perigos de um homem histérico

Eros quando solteiro foge diante de um possível relacionamento profundo. Mas gosta de manter uma mulher apaixonada sem assumi-la (pela necessidade da certeza de ser amado). Eros histérico continua freneticamente seu jogo de sedução, porém, finalizada a sedução ele não sabe mais o que fazer, ali entra em territórios desconhecidos. Evita um vínculo mais sólido porque seria deparar-se com a sua impotência diante de algo ou de uma situação e dessa forma fica evidenciado aquilo que poderia ter sido e não foi: o verdadeiro homem.
Toda mulher com uma relativa experiência afetiva é capaz de reconhecer perfis de homens com os quais se deve estar alerta. É quase como se uma luz piscasse com o texto: "Perigo! Mantenha distância".  Apesar disso, não raro envolvem-se com eles mesmo assim e saem chorando no final.
Dentre esses perfis evitáveis que simplesmente não conseguimos evitar, está o que a Senhorita Patinete chama de  Heros histérico. Hoje entenderemos melhor como funciona esse tal…